folhas em relevo

Eu sempre quis tecer algumas meias do livro Favorite Socks da Ann Budd. Mas o que me animou mesmo a comprá-lo foi vê-lo no formato Kindle com preço bem mais em conta que a versão impressa.

Bem, eu não tenho o leitor eletrônico Kindle, mas instalei o aplicativo leitor Kindle, que é grátis, no meu iPad e mais tarde instalei a versão Windows no meu notebook.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Algumas vantagens do leitor eletrônico é que posso fazer anotações, marcar várias páginas, ajustar o tamanho das letras ao meu gosto, economizo espaço nas estantes (já abarrotadas) de livros e os dois aplicativos sincronizam, ou seja, se avanço a leitura no iPad quando acesso o livro pelo notebook ele vai para a última página que parei e vice-versa. Uma desvantagem é que não tem como imprimir as páginas, acredito que seja para proteger os direitos autorais.

Já as vantagens desse livro são várias receitas muito bonitas com custo x benefício ótimo! Sobre as desvantagens, não consigo pensar em nenhuma…

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Ainda que estivesse pensando apenas em xales e mais xales, eu precisava tanto tricotar uma receita curta e rápida! Estava decidido, antes de embarcar numa peça mais longa, minha mãe ganharia um par de meias tecidas à mão.

Eu estava com tanta vontade de começar a tricotar que teci um pé da maneira que aprendi no livro Getting Started Knitting Socks, também da Ann Budd.

Da receita original usei apenas a quantidade de pontos solicitada na montagem e o gráfico. Todo o resto, ou seja, a técnica da montagem dos pontos, a volta do calcanhar e os dedos, fiz do jeito que a Ann Budd ensina no livro Getting Started Knitting Socks.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Tricotar essa receita é muito prazeroso. Antes de cortar o fio para fechar os dedos usando grafting fui experimentar as meias pela última vez e tive de dar razão à voz na minha cabeça que ficou dizendo o tempo todo que estava ficando justo demais. Sim, você tinha razão! Ficou muito justo na perna, justo no pé… E com certeza ficaria apertado na minha mãe. Eu tinha usado agulhas com numeração 2,75mm.

Passada a euforia de tricotar algo rápido, eu desmanchei meu pé de meia (literalmente!) e fui ler a receita com mais calma. Aproveitei para aprender a montagem de pontos sugerida pela receita, que é a montagem de pontos em barra 1×1, uma novidade para mim.

Para aumentar a circunferência da perna, usei agulhas com numeração levemente maior, dessa vez 3mm, e também acrescentei mais quatro pontos que foram distribuídos entre os quatro painéis de folhas da perna. Teci duas repetições e meia com as agulhas 3mm e então retornei para as agulhas 2,75mm para tecer o restante.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Também resolvi manter o padrão de folhas na aba do calcanhar. Na receita original o calcanhar não é rendado. Como todas as linhas do gráfico são trabalhadas, eu teria de tecer algumas delas pelo avesso. Por acaso, havia visitado essa página que mostra como trabalhar os pontos no avesso e no direito. O calcanhar ficou do jeitinho que eu queria.

A última modificação da meia foi que mantive os dedos da meia simples, sem o padrão que a designer indica na receita.

Receita: Embossed Leaves de Mona Schmidt
Fio: Shepherd Sock Solid de Lorna’s Laces na cor Manzanita
Composição: 80% merino, 20% nylon
Agulhas: circular de 1 metro de comprimento nas numerações 2,75mm e 3mm

Veja este projeto no Ravelry

Anúncios

um xale para vestir

Um dia, enquanto segurava o xale Bitterroot nas minhas mãos fiquei pensando no quanto ele era gostoso ao tato. Me deu vontade de vestir uma blusa fresca como aquele xale! Por que não utilizar os gráficos de um xale para tecer uma blusa de algodão?

A ideia era fazer uma blusa de manga raglã. Os aumentos da manga raglã seriam trabalhados como as bordas direita e esquerda do xale. Mais tarde, navegando pelo Ravelry, vi uma receita linda de xale criado pela designer alemã Sue Berg. Sempre que olhava esse xale, via a blusa que eu queria tecer para mim.

trico em prosa.com - um xale para vestir - Blusa Goldmarie

Da inspiração para o planejamento e posterior ação levou mais ou menos uns seis meses. Primeiro, reli alguns capítulos dos dois livros da Elizabeth Zimmermann que tenho, o Knitting Without Tears e o livro Knitter’s Almanac para entender o sistema de porcentagem da Elizabeth Zimmermman (EPS em inglês). Além disso, risquei, rabisquei, fiz contas. Tive de adaptar o sistema da EZ pois teceria de cima para baixo (top-down) e queria o decote mais amplo.

Para a amostra eu tricotei o padrão do corpo da blusa, ou seja, a sequência [*1m, 3t, 3m, 3t*, 1m], repetindo os pontos entre parênteses. Depois de molhada e seca, cada repetição mediu 5 centímetros. Para obter 100 centímetros na altura do busto eu precisaria de 20 repetições, ou 200 pontos.

Como a blusa é top-down, montei aproximadamente 65% do total dos pontos do busto para iniciar o decote. Acrescentei 2 pontos guias nos quais eu trabalharia os aumentos para as mangas raglã. A distribuição dos pontos do decote ficou assim: 41 pontos para a frente, 2 pontos guia, 21 pontos para a manga direita, 2 pontos guia, 41 pontos para as costas, 2 pontos guia e 21 pontos para a manga esquerda. No total, montei 132 pontos para o decote.

trico em prosa.com - um xale para vestir - Blusa Goldmarie

A volta de ajuste distribuiu os pontos da seguinte maneira: 1m, [1m, 3t, 3m, 3t] x 4, 2m, marcador, 1m, [1m, 3t, 3m, 3t] x 2, 2m, marcador, 1m, [1m, 3t, 3m, 3t] x 4, 2m, marcador, 1m, [1m, 3t, 3m, 3t] x 2, 2m. Fechei a volta para tricotar circularmente, coloquei um marcador (diferente dos demais) para indicar seu início e tricotei a primeira volta realizando os aumentos para a manga. Alternei uma volta de aumentos, com outra sem aumento nenhum. Os pontos que aumentava foram trabalhados na volta seguinte obedecendo a mesma sequência de pontos usada na amostra, ou *1m, 3t, 3m, 3t*.

Foi apenas na décima quinta volta que iniciei a linha 1 do gráfico C da receita do xale. Quem acompanha a página do Tricô em Prosa no Facebook, sabe que eu tive de fazer a pala da blusa duas vezes. O fio acabou e só então me dei conta de que não tinha outro novelo! Não encontrei o mesmo lote para comprar e havia diferença muito grande na cor do novo fio. A saída foi comprar dois novelos do novo lote e recomeçar com o novo fio. A primeira pala que teci tinha dois níveis de folhas, já na segunda tentativa eu resolvi fazer quatro níveis de folhas.

trico em prosa.com - um xale para vestir - Blusa Goldmarie

Como pede a receita do xale, na parte rendada da pala trabalhei as linhas 1 a 24 do gráfico C e depois repeti as linhas 5 a 18 mais 3 vezes. Algumas modificações que fiz: após o mate duplo que forma a ponta da folha eu trabalhei esse ponto em tricô por mais quatro voltas, e b) na última repetição do gráfico, para retornar ao padrão do corpo da blusa, não trabalhei as laçadas das linhas 11, 13 e 15.

Quando alcancei a quantidade de pontos necessária para separar as mangas do corpo (360 pontos), ainda não havia profundidade suficiente para a cava do braço. Então prossegui mais cinco centímetros sem fazer nenhum aumento e só então coloquei os 80 pontos de cada manga em fios descartáveis. A circunferência do peito ficou com os 200 pontos que eu precisava.

trico em prosa.com - um xale para vestir - Blusa Goldmarie

A manga ficou um pouco abaulada, com uma pequena(?) saliência para fora, fato que irei ignorar solenemente.

Entretanto, posso explicar o motivo que levou a isso. Eu deveria ter trabalhado os aumentos da manga raglã até que houvessem 160 pontos para a circunferência do peito e 60 pontos para cada manga, ou 280 pontos totais. Se eu tivesse parado nesse ponto, eu poderia separar as mangas em fios descartáveis e, ao retomar os pontos da circunferência do peito, montar 20 pontos embaixo de cada manga. Desse modo, eu teria os 200 pontos necessários para a circunferência do peito e ainda deixaria a manga embutida, ajustada perfeitamente ao braço.

Sabe o que me impediu de fazê-lo? Foram as repetições extras para tecer quatro níveis de folhas na pala. Ao finalizar os quatro níveis de folhas, já contabilizava 200 pontos para a circunferência do peito e 80 pontos para cada manga. A única saída para o impasse seria desmanchar e deixar a blusa com dois níveis de folhas, assim faria os aumentos até ter 280 pontos totais. Só que eu não mais queria desmanchar… Bem, no final decidi deixar do jeito que estava e conviver com o resultado.

trico em prosa.com - um xale para vestir - Blusa Goldmarie

Para deixar a barra da blusa com o mesmo barrado do xale eu repeti o gráfico C e depois trabalhei o gráfico D.

Tecer essa blusa foi um desafio, desgastante em alguns momentos. Mas aquela sensação quando superamos as dificuldades é mais do que compensadora. Gostei muito do resultado final!

Um feliz 2014 para você!

Receita: Goldmarie de Sue Berg
Fio: Círculo Anne na cor 7382 Marrom
Composição: 100% algodão
Agulhas: agulhas circulares número 2,75mm de 1 metro de comprimento

Veja esse projeto no Ravelry

inconfundível gail

Preciso dizer o nome desse xale? Mal deitar os olhos nessas belas folhas, o coração grita: é o inconfundível Gail (aka Nightsongs)! Desde que a receita foi lançada, milhares de pessoas são atraídas por sua beleza, tal qual canto de sereia que encanta marinheiros e piratas!

Xale Gail

Lendo os depoimentos no Ravelry das pessoas que tricotaram esse xale não pude deixar de perceber que tricotá-lo desperta todo tipo de reação, sempre apaixonada. Os relatos vão desde a enorme satisfação ao ver a renda formar-se tão majestosa à frustração daqueles que tiveram problemas ao tecê-lo.

Xale Gail

Curioso também como muitos usaram artimanhas para possuí-lo, criaram “versões” apenas para chamar de seu a receita desse xale cuja renda os havia encantado. E surgiram até mesmo versões de versões.

Mas a questão é que o mundo inteiro reconhece a exuberância dessas folhas, o mundo inteiro sabe que o xale Gail (aka Nightsongs) foi criado pela Mawelucky/Jane Araújo, que coleciona histórias e mais histórias de sua obra-prima.

Xale Gail

Entre tantos projetos inacabados, mal pude esperar para montar os pontos dessa lindeza. Minha vontade era de me dedicar exclusivamente a tricotar esse xale. Tive de me policiar senão abandonava todos os projetos iniciados, os quais eu tinha de terminar pois os bebês crescem muito rápido! Por esse motivo terminá-lo levou muito mais tempo do que seria esperado.

Depois de tricotar a primeira repetição do gráfico, segui repetindo as linhas 23 a 38. Usei apenas um dos gráficos para tricotar ambos lados do xale, o “Gráfico 1 – Lado esquerdo”. Para o corpo do xale, tricotei seis repetições do gráfico.

Xale Gail

marcadores de pontos
Adoro o fato desse xale não apresentar espinha dorsal. Por isso devemos trabalhar uma laçada dupla bem no meio do xale. Foi nesse ponto que coloquei um marcador de ponto vermelho. Os demais marcadores de pontos (nas cores azul, verde e preto) foram colocados nos quadrados em branco do gráfico, que separam os pontos da parte clara dos pontos da parte acinzentada do gráfico.

Xale Gail

Cometi pouquíssimos erros. A única vez que precisei desmanchar, já estava na terceira carreira da borda do xale quando percebi que havia trabalhado laçada dupla no ponto central da primeira carreira. Refiz a primeira carreira trabalhando uma laçada simples.

Arrematei usando o arremate incrivelmente elástico da Jeny, que também é incrivelmente simples de fazer! A Cat Bordhi fez um vídeo excelente ensinando esse arremate e no final ela mostra como fazer um acabamento perfeito antes de embutir as pontas. (Obs: algum tempo depois de escrever essa publicação, eu acabei fotografando um tutorial sobre esse arremate)

Sobraram apenas 6 gramas de fio.

acabamento
O tempo todo tive dúvidas se as cores mescladas do fio que escolhi iriam dificultar a visualização da renda. Mas depois que molhei e abri a renda nas mãos, o padrão saltou aos olhos! Esse fio foi adquirido no Café Tricot.

Antes de bloquear o xale em sua forma final, ele media 100 centímetros de envergadura por 50 centímetros de altura. Podemos vê-lo recém saído das agulhas, todo amassadinho na fotografia abaixo:
Xale Gail

Depois de bloquear, ele mede 156 centímetros e 70 centímetros de altura. Abaixo o mesmo detalhe da fotografia acima, bloqueado em sua forma final:
Xale Gail

Esse xale será presenteado para a minha irmã em seu aniversário. Ela é uma pessoa de altíssimo astral, calorosa, vibrante, inteligente, intensa, amiga e apaixonada.
Amo muito você, Cinara!

Receita: Gail (aka Nightsongs)* de Mawelucky/Jane Araújo
*tradução para o português (a pedido da própria designer) publicada em https://tricoemprosa.com/traducao/xale-gail-aka-nightsongs/
Fio: Malabrigo Yarn Sock na cor Velvet Grapes
Agulha: circular número 4,50mm de 100 centímetros de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

flora para isadora

Se eu pudesse tricotaria casaquinhos para cada futura mamãe que conheço. Mas não consigo cumprir prazos quando se trata de tricô. Foi só por esse motivo que a Isadora não ganhou seu casaquinho quando nasceu. Mas é chegada a hora de corrigir essa “injustiça”!

tricô em prosa - Casaco Flora

Queria tricotar um casaco bem fofo para essa menina de olhos estrelados. Escolhi essa receita com grandes bolsos para ela encher de brinquedos.

Um dia eu me deparei com essa fotografia da filha da Jessica Alba e fiquei encantada com a alegria da menina. Estava decidida a cor do casaco da Isadora, seria lilás (talvez roxo). Então encomendei o fio.

Assim que o fio chegou eu tricotei duas amostras enquanto assistia televisão. A primeira foi tricotada usando agulha número 5,0mm mas decidi desmanchar. Tricotei a segunda amostra com agulha número 5,5mm e obtive a seguinte medida: 17 pontos medem 10 centímetros.

Amostra Casaco Flora

Como a amostra da receita requer que 18 pontos meçam 10 centímetros, o casaco resultante ficaria um pouquinho maior. Não vi problema nenhum nisso e montei os pontos do casaco para o tamanho dois anos.

Achei que os botões de coco combinaram muito bem com a cor do casaco!

tricô em prosa - Casaco Flora

Esse casaco é tricotado de cima para baixo, sem costuras.

Primeiro, são montados os pontos da pala que é trabalhada juntamente com os aumentos para formar as mangas raglã. Depois de separar os pontos das mangas para deixá-los em espera, é hora de trabalhar o corpo. Uma carreira cheia de aumentos é trabalhada para dar mais volume ao casaco, que fica mais parecido com um sobretudo. Os pontos das mangas são retomados e trabalhados de maneira circular sem costuras. Os pontos da gola são levantados a partir da pala. Então temos de tricotar os bolsos.

Como da outra vez que tricotei esse casaco, iniciei o cardigã pela gola (e não pela pala), para não ter de levantar esses pontos mais tarde. Finalizada a gola, montei 6 pontos de cada lado para tricotar a barra de botões e só então trabalhei a pala.

tricô em prosa - Casaco Flora

E para costurar os bolsos, novamente usei as figuras 77 e 78 desse tutorial. De novo, refiz a costura diversas vezes até que ficasse perfeito!

Agora é só torcer para que sirva na pequena Isadora!

Receita: Flora de Kate Blackburn, que gentilmente autorizou a publicação da tradução da receita para português.
Fio: Fio Círculo Lã Seda, cor 6434
Agulha: KnitPro circular núm. 5.5 mm de 100 cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

If I could I would knit cardigans to every future mom I know. But I can’t meet deadlines when it comes to knitting. It was the only reason Isadora didn’t receive her baby cardigan when she was born. But now it comes the time to correct this “injustice”!

I wanted to knit a cute cardigan to this girl whose eyes shine like the stars. I’ve chosen this pattern with big pockets so she can fill it with little toys.

One day I found this photograph of Jessica Alba’s daughter and I was amazed with her happiness. The color of Isadora’s cardigan was chosen, it would be lilac (maybe purple). So I ordered the yarn.

As soon as the yarn was delivered I knitted two swatches while I watched television. The first one was knit using US #8 needles, but I decided to frog it. I knit the second swatch using US #9 needles and I got the following measurement: 17 stitches measure 4 inches.

Because the gauge of the pattern is 18 stitches per 4 inches, the resulting cardigan would be a little bigger. I didn’t see it as a problem and so I cast on for size two years.

I find that the coconut buttons goes well with the color of the cardigan!

This cardigan is knit from top to bottom, seamless.

First, we cast on the stitches of the yoke. Yoke is worked as the same time as we do increases to shape the raglan sleeves. After separating the stitches of the sleeves to put them on hold, it’s time to knit the body. One row full of increases is worked to give it more volume, it looks like an overcoat. The stitches of the sleeves are worked on the round, seamlessly. The stitches of the collar are picked up from the yoke. Then we have to knit the pockets.

Just like the other time I knit it, I started the cardigan from the collar (not from the yoke), so I wouldn’t have to pick those stitches later. Once I finished knitting the collar, I increased 6 stitches at each side to make the buttonband, and then I proceeded to knit the yoke.

And to sew the pockets on, I used figures 77 and 78 of this tutorial again. And again, I tried and tried to sew them until they were perfect!

Now, I hope it will fit little Isadora!

Pattern: Flora by Kate Blackburn, who kindly authorized the publication of the translation of the pattern into portuguese.
Yarn: Circulo Yarn Lã Seda, color 6434
Needle: circular KnitPro US #9 – 40 inches long

See this project on Ravelry

receita traduzida – Meias Baudelaire

Meias BaudelaireEis o registro fotográfico das últimas peças que saíram de minhas agulhas: as inebriantes meias Baudelaire.

Elas serão presenteadas para uma amiga muito querida. A Leidinha merece aquecer os pés com muita poesia, vinho e virtude!

Você também ganha presente: a designer gentilmente permitiu a publicação da tradução das Meias Baudelaire para o português. Thank you, Cookie A and Kristi Geraci!

Detalhe: foi da obra “Pequenos Poemas em Prosa” de Charles Baudelaire que tirei o nome do blog!