gorro Lucille

Faz muito tempo que terminei o gorro faz conjunto com o cardigã Lucille mas não fazia a menor ideia de como iria costurar as fitas laterais. Eu queria algo bem parecido ao modelo original e queria usar botão ou contas peroladas para adornar.

tricô em prosa.com - Gorro Lucille

Procurei na internet alguns tutoriais de flor com fita de cetim. Encontrei vários modelos encantadores, sobretudo rosas, que usavam um pouco mais de fita do que eu poderia dispor. Com apenas meio metro de fita para cada tira, eu deveria fazer uma flor e ainda garantir que a tira restante fosse longa o suficiente para dar um laço.

Como não conseguia me decidir, o projeto ficou parado por umas duas semanas, o que me incomodou bastante.

Gorro Lucille

Um dia cortei umas tiras de papel e comecei a brincar com elas. Foi assim que cheguei ao modelo do lacinho, que acabou substituindo a rosa.

Usei apenas o botão para adornar, acabei deixando as contas peroladas de lado. Ficou mimosinho. E sobretudo, bem acabado e firme! Tomara que não incomode a bebê a ponto dela tentar arrancar as fitas.

tricô em prosa.com - Gorro Lucille

Conjunto completo, agora só falta embalar e enviar para a minha prima Rafaela, a mamãe da doce Carolina.

Receita: Lucille de Courtney Kelley
Fio: Pingouin Bella, cor 4 – natural
Agulhas: circular número 2.50mm de 100 centímetros de comprimento

Veja esse projeto no Ravelry

Atualização em 25/set/2013: a designer Courtey Kelley gentilmente autorizou a tradução da receita para o português que pode ser baixada a partir da página da receita no Ravelry. Se precisar leia os passos para baixar o arquivo

Anúncios

tentação

Desde que retomei o tricô em 2008, tenho me dedicado a tricotar gorros, meias e outros projetos pequenos. Várias vezes me senti tentada a tricotar um suéter, mas o fato de ter de costurar as mangas me causava muita ansiedade. Talvez essa ansiedade tenha sua origem em um pulover que tricotei e que não ficou legal. Era bege e alternava tranças com barra 3×3. Era um modelo simples, mas ficou com as mangas enormes, muito justo e mal passava pela minha cabeça. Desastre.

Ainda em 2008, comprei o livro Knitting Without Tears, de Elizabeth Zimmermann e li repetidas vezes sobre o método de tricotar um suéter da barra para cima. Esse método seria perfeito para aplacar a ansiedade das costuras do pulover já que não é necessário costurar quase nada, apenas pouquíssimos pontos debaixo do braço. Após anos de ensaio decidi montar os pontos do meu primeiro suéter utilizando esse método.

Escolhi uma receita grátis muito fácil no site Knitty: o suéter Tempting, da Jenna Adorno. É um suéter de mangas curtas, muito feminino, perfeito para utilizar um fio que estava há muito tempo no meu estoque. E como o fio que pretendia usar era mais fino do que aquele que a receita pedia, tricotei um tamanho maior.

Tive um problema justamente naqueles pouquíssimos pontos que devemos costurar debaixo do braço. Apareceram dois buracos em cada extremidade dessa costura, ou seja, dois buracos em cada braço. Com a gentil ajuda da Grace consegui fechá-los de uma maneira elegante e eles simplesmente desapareceram! Obrigada, Grace!!!

O resultado final me agradou bastante e utilizei todo o fio que tinha disponível. Talvez eu tricote essa receita novamente, com um fio da espessura pedida pela receita e fazendo as mangas mais longas.

Tempting Tempting Tempting

Receita: Tempting
Fio: Pingouin Perlina – Cor Cereja 353 – 2,5 unid.
Agulha circular núm. 4,00mm / US #6 de comprimento 1,00m / 32”

Since I started knitting again on 2008, I’ve dedicated on knitting hats, socks and other small projects. Many times I felt tempted to knit a sweater, but the fact that I would have to seam the sleeves made me anxious. Maybe that anxiousness was originated years ago when I knitted a sweater that didn’t turn out right. It was beige and alternated cables and 3×3 ribbing. It was simple, but turned out with very long sleeves, way fitted and I could barely pass it though my head. Disaster.
 
Still on 2008, I bought Elizabeth Zimmermann’s book Knitting Without Tears, and read about the method of knitting a sweater bottom-up over and over again. This method would be perfect to fight the anxiouness caused by the seams once it wouldn’t be necessary to seam almost anything, just some stitches underarms. After lots of mental rehearsing, I decided to cast on the stitches of my first bottom-up sweater.
 
I’ve choosen a very easy free pattern at Knitty: Jenna Adorno’s Tempting sweater. It’s a short sleeved sweater, very feminine, perfect for a yarn that was sitting a long time on my stash. And once the yarn I intended to use was thinner than the one required by the pattern, I knitted it one size bigger than mine.
 
I had one small problem exactly on those fewer stitches I had to seam underarms. There were two holes at each extremity of the seam, that is, two holes at each underarm. With the gentil help of Grace I managed to close them in an elegant way and they simply disappered! Thank you, Grace!!!
 
The resulting sweater pleased me a lot and I managed to used all the yarn I had. Maybe I will knit this pattern again, using a yarn of the same weigth required by the pattern and with longer sleeves.