renda em forma de água

​A história dessa peça começou quando minha eterna priminha, a Rayssa, deixou um comentário no Facebook dizendo que estava com invejinha da nossa vó Ziquinha quando ela ganhou um xale rendado que eu teci. Fiquei tão tocada que se pudesse teria montado os pontos de um xale para ela imediatamente.

tricô em prosa - Xale Estuary

A Rayssa tem (bem) mais de vinte anos, mas no meu coração ela sempre será aquela bebê fofa de voz grave, falante e curiosa, que subia pelos móveis e queria entrar dentro da cristaleira da minha mãe.

Demorou uns meses até que tudo estivesse pronto para eu começar essa peça. E isso aconteceu em meados de novembro do ano passado. Sempre me senti atraída por essa receita, uma mistura de xale e echarpe. Achei que essa receita tinha tudo a ver com a Rayssa. Eu tinha esse fio, nessa cor que acho deslumbrante. São 450 metros, perfeito!

tricô em prosa - Xale Estuary

Existem duas versões dessa receita. Podemos imprimi-la a partir do site Knitty ou baixar o PDF do Ravelry. Ambas estão corretas, mas não se deve misturar os gráficos de uma versão com os da outra. Eu escolhi baixar o PDF por que usei o aplicativo KnitCompanion instalado no iPad para seguir os diversos gráficos.

Eu não diria que essa receita é daquelas que se tricota para relaxar. Não mesmo! Requer muita atenção! A maior parte do tempo devemos seguir dois gráficos diferentes para fazer uma única carreira. E lá pelo final da receita, o número da linha de um gráfico não batia com o número da linha do outro gráfico. Tenso…

tricô em prosa - Xale Estuary

O xale nasce a partir de dois pontos montados na agulha. Nas carreiras ímpares são feitos os aumentos que dão forma ao xale. Depois do gráfico inicial (A), começa o gráfico C que corresponde ao barrado do xale. Esse gráfico será repetido ao longo de todo xale, praticamente 80% do tempo, ao mesmo tempo que outros gráficos são trabalhados. O xale cresce na altura, então a parte central é tecida reta e em seguida o xale diminui até que restem dois pontos na agulha.

Usei um marcador de pontos vermelho para delimitar a fronteira entre o gráfico C e os demais gráficos. A receita só pede esse marcador. Mas é salutar usar marcadores para delimitar as repetições dentro de cada gráfico. Então escolhi marcadores brancos para as repetições de um mesmo gráfico.

tricô em prosa - Xale Estuary

Duas semanas depois de iniciado, o pobre xale foi colocado em segundo plano devido às exigências do trabalho. A prioridade naquele momento era trabalhar dia e noite, fim de semana também, para cumprir o prazo de entrega.

Assim que o trabalho foi entregue, era hora de viajar para a casa de meus pais para as festas de Natal e Ano Novo. Eu levei o xale para tricotar lá, mas convenhamos, seguir dois gráficos ao mesmo tempo não encoraja a socialização… Do jeitinho que ele foi, voltou. E assim permaneceu, intocado, por mais de dois meses.

tricô em prosa - Xale Estuary

Em março, eu retomei a peça. Tive de fazer um esforço porque tinha esquecido todos os pormenores da receita. Estudando a trama, finalmente aceitei que os contadores do KnitCompanion indicavam precisamente onde eu tinha parado.

E tive de ler a receita de novo para esclarecer duas perguntas cruciais: a) o gráfico mostra os pontos da borda?, e b) como se tricota a carreira do avesso? Sanadas as dúvidas, me entreguei às delícias de tricotar novamente!

tricô em prosa - Xale Estuary

Foi então que aconteceu o Drama Número Um. Uma atualização da versão 9.3 do sistema operacional do iPad fez com que meu aparelho ficasse travado. Pelo que andei lendo, vários proprietários do iPad 2 ao redor do mundo tiveram o mesmo problema.

Segui todos os passos recomendados pela Apple, sem nenhum sucesso. Achei que teria de apagar todos os meus dados e reinstalar os aplicativos que uso. Mas o suporte da Apple entrou em contato e baixou uma atualização que destravou o aparelho e salvou todos os meus dados.

Lições aprendidas: a) nunca mais instalar uma atualização sem antes fazer um backup dos dados; e b) mesmo assim, esperar ao menos dois dias para ver se outros usuários tiveram problemas.

tricô em prosa - Xale Estuary

Com o KnitCompanion operacional e todos os meus contadores intactos, retornei ao xale. Segui a receita à risca. Depois da fase dos aumentos tem um gráfico reto que deve ser repetido quatro vezes, e assim o fiz. Finalmente pude iniciar a etapa de diminuições até alcançar o último gráfico do xale.

Faltando menos de 20 carreiras para terminar o xale, quem terminou foi o fio. Esse foi o Drama Número Dois! Considerei comprar outra bola, porém faz tanto tempo que comprei esse fio não encontraria outro lote dele.

tricô em prosa - Xale Estuary

Três dias depois, passado aquele sentimento de frustração e totalmente tomada pela atitude “vamos resolver esse problema”, sentei-me e estudei a trama. Localizei o local exato da conclusão da terceira repetição do gráfico reta. Desmanchei até esse ponto. Eu devo ter desmanchado uns 25 centímetros de trama. A partir daí iniciei as diminuições.

Desse modo, omitindo a quarta repetição do gráfico reto, eu pude concluir o xale. E quando arrematei os últimos dois pontos, sobrou pouquíssimo fio.

tricô em prosa - Xale Estuary

O resultado me agradou bastante! Fica legal usado como um xale e também fica muito bem quando usado em volta do pescoço, como uma echarpe.

Depois de bloqueado e seco, o xale mediu 175 centímetros de envergadura. Se eu tivesse tido fio suficiente para tricotar a quarta repetição do gráfico reto, imagina como esse xale não ficaria longo? Ah,sim! A peça mede 31 centímetros de altura.

E não descarto a ideia de tricotar essa receita novamente!

Receita: Estuary de Tin Can Knits
Fio: Pingouin Tropfil na cor 2524
Composição: 100% algodão
Agulha: circular de numeração 3,5mm de 100 cm de comprimento

Veja esse xale no Ravelry

temporada de morangos

Três meses é muito tempo para tricotar um casaquinho de bebê mas esse foi o tempo que levei para terminar esse casaquinho. Ele foi tecido devagarinho e muitas vezes eu tive de deixá-lo de lado por causa de outras prioridades.

tricô em prosa - temporada de morangos - Cardigã Helena

É a terceira vez que tricoto essa receita, uma delícia de fazer.

E foi a primeira vez que usei esse fio, que gostei muito. Ele é muito macio e vem em cores lindas. Para essa peça eu usei um tom verde bandeira (cor 5611), mas teria sido melhor usar um tom verde claro (cor 7687). Infelizmente, esse verde mais claro não estava disponível para comprar no dia em que fiz a encomenda.

tricô em prosa - temporada de morangos - Cardigã Helena

Tricotei também um par de sapatinhos para combinar com o cardigã. Montei 48 pontos, teci três voltas em cordão de tricô, sendo a primeira volta em tricô. Na quarta volta eu trabalhei [2m, 2pjm] 12 vezes para reduzir a quantidade de pontos para 36. A partir daí, segui a receita original.

tricô em prosa - temporada de morangos - sapatinhos

As flores foram tecidas da maneira em que indiquei nessa publicação. Desta vez, bordei as sementes antes de iniciar as diminuições da sola. Fica muito mais fácil assim. A sola ficou com 10 centímetros, indicado para um bebê de 9 a 12 meses.

Acabamento

Uma amiga que é excelente crocheteira me perguntou outro dia como é que eu fazia o acabamento das peças em tricô. Anos atrás, esse era o meu maior problema. Nunca ficava satisfeita com meu acabamento.

Elizabeth Zimmermann sempre disse que não existe certo ou errado no tricô, e sim aquilo que funciona para cada pessoa. Então eu vou explicar aqui a maneira como eu faço o acabamento das minhas peças.

Passo 1: Primeiro, vou trançando o fio pelo lado avesso com uma agulha de tapeçaria (agulha sem ponta), mais ou menos como mostra as fotografias desse artigo. Deixo uma ponta de uns 8 a 10 centímetros de comprimento.

Passo 2: Separo os cabos que formam as pontas dos fios que restaram. Na fotografia abaixo estão os cabos separados do fio vermelho e do fio verde:
tricô em prosa - temporada de morangos - cardigã Helena

Passo 3: Um por um, passo a ponta de cada cabo por uma agulha de costura (sim, de costura com a ponta fina) e começo a ziguezaguear a agulha por dentro dos fios do avesso do trabalho:
tricô em prosa - temporada de morangos - Como embutir as pontas

Nas fotografias abaixo eu fiz o mesmo com os cabos do fio vermelho. Eles foram passados por dentro da trama do avesso em várias direções:
tricô em prosa - temporada de morangos - Como embutir as pontas
Comecei passando a ponta do cabo para a esquerda.

Continuei com o mesmo cabo passando-o desta vez para a direita. Mudei de direção mais uma vez e deixei uma longa ponta do cabo saindo pela trama.
tricô em prosa - temporada de morangos - Como embutir as pontas

Depois de passar todas as pontas dos cabos pelo lado avesso da trama, elas ficaram assim, bem espalhadas:tricô em prosa - temporada de morangos - Como embutir as pontas

Passo 4: Cortar os fios bem rente:
tricô em prosa - temporada de morangos - Como embutir as pontas

Veja como fica:
Acabamento 10

Sei que muitas vezes restam dezenas de fiozinhos para embutir. Mas como compensa! Fica imperceptível, os fios simplesmente desaparecem no trabalho.
Bem, essa é a maneira que funciona para mim.

Receita: Cardigã Helena de Alison Green
Obs: A designer autorizou a tradução da receita
Receita: Sapatinhos Seamless Baby Booties (top down) de
Fio: Pingouin Balloon nas cores 5611 (verde) e 5362 (vermelho)
Composição: 58% algodão, 42% acrílico
Agulha: circular número 3,50mm e 3,75mm de 1 metro de comprimento

Veja esse suéter no Ravelry

Veja esse sapatinho no Ravelry

alta concentração de renda

Esse xale é um presente para minha tia que tanto amo! Uma mulher doce, talentosa e que tem esses olhos lindos, castanhos claros. Euzinha, foi pensando nos seus olhos que me decidi pela cor do fio, meio acobreado.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

Depois de muita dúvida na hora de escolher a receita, resolvi me deliciar tricotando um xale que já tinha tecido antes.

É uma receita muito bonita! Uma rápida lida na tradução da receita bastou para constatar que era urgente fazer uma atualização, principalmente na abreviatura da diminuição dupla centralizada. Essa foi minha primeira providência. A segunda foi tricotar a amostra sugerida pela receita para não ter dúvida em relação à numeração da agulha.

Foi tão gostoso tricotar esse xale. Tudo deu certo!

contas de vidro

Eu queria usar muitas contas de vidro nesse xale. Comprei 140 gramas de miçangas Jablonex. Eram tantas miçangas que tive de colocá-las num pote de vidro reciclado, desses de geleia. As contas foram passadas pelo fio com a ajuda de uma agulha de crochê número 0,9mm.

Também usei outra agulha de crochê para fazer os nupps. Nesse caso, usei uma agulha de crochê número 2,5mm e esse vídeo com instruções para fazer os nupps numa única carreira. Para esse xale escolhi fazer os nupps com nove voltas.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

As contas são aplicadas no xale desde o primeiro gráfico até o último. Isso significa que esse xale deve ser tricotado em ambiente tranquilo, pacífico e sem distrações. Eu me sentava no sofá, derramava algumas contas de vidro na tampa do pote, posicionava a agulha de crochê ao lado das contas, deixava o gráfico por perto e começava a tecer vagarosamente.

Um belo dia, um movimento descuidado derrubou o pote de miçangas que se espatifou no chão. O vidro se quebrou em pedaços de todos os tamanhos. Encontrei desde pequenas lascas até vidro em pó. Passei duas horas separando as miçangas daqueles pedacinhos minúsculos de vidro cortante. Não sei como, mas consegui não me ferir. Até hoje encontro miçangas nos lugares mais improváveis da casa.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

A linha de gráfico mais difícil de tecer foi a de número 43 do Gráfico Barrado Principal, que é tecida simultaneamente com a linha 43 dos gráficos Barrado Direito, Barrado Central e Barrado Esquerdo. Como o algodão não tem elasticidade, colocar as contas nas diminuições foi uma operação meio “esquisita”. E essa linha 43 tem muitas contas aplicadas nas diminuições. Foram duas noites de muita paciência.

o tamanho do xale

A receita traz instruções para tecer o xale em dois tamanhos. A versão menor consome uns 400 metros de fio e a versão maior consome 1000 metros. Para o xale da tia Euzinha eu queria usar no máximo 700 metros de fio. A receita traz instruções claras e simples para modificar o tamanho.

Para modificar o tamanho do xale eu alterei a quantidade de repetições do Gráfico Yucca. A receita indica fazer quatro repetições para o tamanho menor e doze para tecer o xale no tamanho grande. Então eu decidi trabalhar oito repetições. E não tricotei o Gráfico Agave (como indicado para tecer o tamanho menor), fui direto para o Gráfico Agave Final.

Depois de molhado e bloqueado em seu formato final, aprovei! O tamanho ficou perfeito.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

O xale foi arrematado com fio duplo, como pede a receita. Como eu não tinha outra bola de fio eu separei em torno de 28 metros do fio e cortei-o. Sobrou pouco mais de 4 metros.
A borda ficou firme, mostrando a renda.

o xale em números

O xale pesa 262 gramas e consumiu 650 metros de fio. Das três bolas de fio Esterlina 5 usadas para tecê-lo restaram apenas 9 gramas!

Foram aplicadas 1349 miçangas no xale. Nunca antes havia usado tantas contas de vidro numa peça!

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

Depois de molhado e modelado, o xale mede 63 centímetros de altura e tem 122 centímetros de envergadura.

Receita: Xale Aeolian de Elizabeth Freeman
Obs: a designer autorizou a publicação da tradução da receita para o português
Fio: Esterlina 5 – cor 197
Composição: 100% algodão
Agulha: circular número 3mm

Veja esse xale no Ravelry

morango para aquecer

Esse é meu presente para a Ana Laura, uma bebezinha que logo logo vai descobrir nasceu na família mais amorosa que poderia existir.

Esse casaquinho faz conjunto com os sapatinhos de morango que terminei semana passada. Casaco e sapatinhos foram tricotados simultaneamente. Quando os sapatinhos entraram naquela fase dos adornos (flor e sementes) e tantos acabamentos, montei os pontos do casaco e levei na bolsa para tricotar em qualquer lugar.

blog tricô em prosa - Casaco Helena com receita traduzida para o português

É a segunda vez que eu tricoto essa receita e mais uma vez foi uma imensa alegria. É uma receita deliciosa de seguir.

Escolhi o tamanho três meses, mas acho que servirá a partir dos seis meses até um ano de idade.

Inicialmente eu queria tricotar o casaco todo em vermelho. O fio verde seria usado apenas para nas extremidades do casaco, ou seja, nas bainhas em picot das mangas e do corpo além da barra frontal e gola.

blog tricô em prosa - Casaco Helena com receita traduzida para o português

Mas o fio vermelho acabou na segunda repetição dos pontos rendados da saia, e eu nem tinha tecido as mangas. Como esse fio saiu de linha alguns anos atrás, estava cogitando desmanchar tudo, comprar outro fio e recomeçar. Então meu marido me deu a ideia de tecer a saia em verde.

Adorei o resultado!

blog tricô em prosa - Casaco Helena com receita traduzida para o português

A única modificação que fiz foi nas amarras, que trabalhei em i-cord e acrescentei uma pequena folha nas pontas, idêntica àquela que fiz nas amarras do sapatinho.

Bem, eu escrevi para a designer e ela prontamente permitiu que eu publicasse a tradução para o português de sua receita adorável.

Espero que a Ana Laura se sinta aquecida e confortável com esse conjuntinho tecido especialmente para ela.

Receita: Helena de Alison Green
Obs: A designer autorizou a tradução da receita
Fio: Pingoin Noblesse nas cores 353 (cereja) e 1642 (seiva)
Composição: 70% acrílico, 30% lã
Agulhas: circulares de numeração 3,50mm e 1 metro de comprimento

Veja esse casaco no Ravelry

uma prenda delicada

Ela não sabe mas desde o ano passado eu havia feito um compromisso comigo mesma de presenteá-la esse ano com um xale tecido à mão. Então um dia desses fui surpreendida pela proximidade da data de seu aniversário. Funcionando em modo de emergência, me armei com receita, agulhas e um fio de cor calorosa, que combina perfeitamente com a alegria da aniversariante. Feliz aniversário, Maryse!

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Confesso que no dia em que montei os pontos desse xale sentia uma espécie de medo crescente de não conseguir finalizá-lo a tempo. Não disponho de muito tempo livre para tricotar e eu queria tricotar uma peça rendada, o que requer checar o gráfico constantemente, contar os pontos com mais frequência, enfim, requer mais atenção. Na maioria dos xales que tricotei, a renda é trabalhada somente nas carreiras do lado direito sendo que as carreiras do avesso são trabalhadas unicamente em ponto tricô. Entretanto, nessa receita a renda é trabalhada em todas as carreiras. Cheguei a pensar que tinha escolhido a receita errada mas agora estou muito contente por ter persistido!

Gráfico A
O xale é tricotado de baixo para cima. Primeiro devemos tecer o gráfico A. De tempos em tempos, é necessário montar dezessete pontos no final de uma carreira, e depois montar dezoito pontos do final da carreira seguinte. Usei a montagem cable cast on no lugar da montagem tricotada.

O medo de não conseguir finalizar a tempo me acompanhou durante todas as linhas do primeiro gráfico. Aos poucos me familiarizei com sua construção e quando o gráfico A foi concluído, aconteceu o inesperado: tricotar esse xale tornou-se muito fácil! Tive certeza de que cumpriria o prazo com (bastante) folga!

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Gráfico B
A próxima etapa seria repetir o gráfico B quantas vezes quisesse. Para tecer as repetições desse gráfico eu precisava prestar atenção (aliás, bastante atenção) nas duas primeiras linhas. É nelas que acontecem os aumentos no final das carreiras e que os marcadores devem ser reposicionados.

Demorei um pouco para determinar os locais onde eu precisava de marcadores de pontos. Sem marcadores fica muito confuso. Então, uma dica que só vai fazer sentido para quem quiser tricotar essa receita. Eu usei 3 pares diferentes de marcadores. A Linha 1 do Gráfico B é trabalhada no avesso. Eu colocava um marcador na posição 8 da Linha 1 e outro idêntico na posição 8 da Linha 2. Colocava outro marcador na posição 18 da Linha 1 e outro idêntico na posição 18 da Linha 2. Também colocava marcadores para delimitar a parte contornada em vermelho no gráfico, de modo que um marcador ficava na posição 35 da Linha 1 e o outro era colocado 31 pontos antes do final dessa mesma Linha 1.

Outra dica é destacar com caneta hidrográfica os quadradinhos contendo o ponto pppt (ou sssk) na Linha 2 do Gráfico B, isso ajudou bastante. Essa dica aprendi nessa publicação da querida designer Paula Nina.

Eu repeti o gráfico B sete vezes. Sempre que alcançava a última linha do gráfico eu removia todos os marcadores à medida que os encontrava para então reposicioná-los nas duas linhas iniciais da próxima repetição do gráfico. As demais linhas seguem uma lógica fácil de memorizar. Nessa etapa eu levava o xale na bolsa e tricotava em todo lugar. Tricotar essa renda me dava um enorme prazer.

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Gráfico C
Algo muito legal nessa receita é que podemos parar de tecer o xale a qualquer momento, em qualquer uma das linhas 6 à 12 do gráfico B ou então em qualquer linha do gráfico C. Eu preferi tricotar o gráfico C inteiro e só depois arrematar.

Arremate
Para o arremate, foi a primeira vez que usei o arremate em i-cord, com uma pequena diferença: esse i-cord é reverso, executado em ponto tricô no lugar do ponto meia. Foi um tanto enfadonho, nessa altura a borda superior tinha muitos e muitos pontos para arrematar, mas combinou demais com essa peça!

Considerações finais
Esse xale foi tecido em 10 dias, finalizado cinco dias antes do aniversário. Foi a primeira vez que usei esse fio. Resistente, ele é formado por três cabos bem torcidos. Mas quando molhei a peça para bloqueá-la, minha mão ficou com minúsculas fibras de algodão. Depois de seco, não vi nenhuma fibra na toalha sobre a qual o xale secou. Mas achei estranho. Sorte que xales não precisam ser lavados com tanta frequência!

Depois de bloqueada a peça ficou com 181 centímetros de comprimento, meu comprimento preferido para cachecóis, e com 39 centímetros de altura. Percebi que a ponta direita, a que foi arrematada primeiro, ficou mais repuxada que a ponta esquerda. Iniciei o arremate apertado e terminei mais frouxo. Ao dobrar o xale pelo meio nota-se essa diferença de comprimento. Então da próxima vez, lembrar de arrematar frouxo.

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Essa receita é perfeita quando desejamos usar pequenas quantidades de fio porque ele é tecido de baixo para cima. Como o barrado é trabalhado primeiro, basta continuar até ter fio suficiente para arrematar.

Outra qualidade dessa receita é sua versatilidade, já que essa peça pode ser usada sobre os ombros como um xale ou estola, ou enrolada em volta do pescoço como um lenço ou cachecol.

Receita: Geschenk de Rosemary (Romi) Hill
Obs: a designer autorizou a tradução para português
Composição: 100% algodão
Fio: Pingouin Tropfil na cor 317 vermelho Soviet
Agulha: circular numeração 3,50mm de 1 metro de comprimento e arremate com 4mm

Veja esse projeto no Ravelry