flora para isadora

Se eu pudesse tricotaria casaquinhos para cada futura mamãe que conheço. Mas não consigo cumprir prazos quando se trata de tricô. Foi só por esse motivo que a Isadora não ganhou seu casaquinho quando nasceu. Mas é chegada a hora de corrigir essa “injustiça”!

tricô em prosa - Casaco Flora

Queria tricotar um casaco bem fofo para essa menina de olhos estrelados. Escolhi essa receita com grandes bolsos para ela encher de brinquedos.

Um dia eu me deparei com essa fotografia da filha da Jessica Alba e fiquei encantada com a alegria da menina. Estava decidida a cor do casaco da Isadora, seria lilás (talvez roxo). Então encomendei o fio.

Assim que o fio chegou eu tricotei duas amostras enquanto assistia televisão. A primeira foi tricotada usando agulha número 5,0mm mas decidi desmanchar. Tricotei a segunda amostra com agulha número 5,5mm e obtive a seguinte medida: 17 pontos medem 10 centímetros.

Amostra Casaco Flora

Como a amostra da receita requer que 18 pontos meçam 10 centímetros, o casaco resultante ficaria um pouquinho maior. Não vi problema nenhum nisso e montei os pontos do casaco para o tamanho dois anos.

Achei que os botões de coco combinaram muito bem com a cor do casaco!

tricô em prosa - Casaco Flora

Esse casaco é tricotado de cima para baixo, sem costuras.

Primeiro, são montados os pontos da pala que é trabalhada juntamente com os aumentos para formar as mangas raglã. Depois de separar os pontos das mangas para deixá-los em espera, é hora de trabalhar o corpo. Uma carreira cheia de aumentos é trabalhada para dar mais volume ao casaco, que fica mais parecido com um sobretudo. Os pontos das mangas são retomados e trabalhados de maneira circular sem costuras. Os pontos da gola são levantados a partir da pala. Então temos de tricotar os bolsos.

Como da outra vez que tricotei esse casaco, iniciei o cardigã pela gola (e não pela pala), para não ter de levantar esses pontos mais tarde. Finalizada a gola, montei 6 pontos de cada lado para tricotar a barra de botões e só então trabalhei a pala.

tricô em prosa - Casaco Flora

E para costurar os bolsos, novamente usei as figuras 77 e 78 desse tutorial. De novo, refiz a costura diversas vezes até que ficasse perfeito!

Agora é só torcer para que sirva na pequena Isadora!

Receita: Flora de Kate Blackburn, que gentilmente autorizou a publicação da tradução da receita para português.
Fio: Fio Círculo Lã Seda, cor 6434
Agulha: KnitPro circular núm. 5.5 mm de 100 cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

If I could I would knit cardigans to every future mom I know. But I can’t meet deadlines when it comes to knitting. It was the only reason Isadora didn’t receive her baby cardigan when she was born. But now it comes the time to correct this “injustice”!

I wanted to knit a cute cardigan to this girl whose eyes shine like the stars. I’ve chosen this pattern with big pockets so she can fill it with little toys.

One day I found this photograph of Jessica Alba’s daughter and I was amazed with her happiness. The color of Isadora’s cardigan was chosen, it would be lilac (maybe purple). So I ordered the yarn.

As soon as the yarn was delivered I knitted two swatches while I watched television. The first one was knit using US #8 needles, but I decided to frog it. I knit the second swatch using US #9 needles and I got the following measurement: 17 stitches measure 4 inches.

Because the gauge of the pattern is 18 stitches per 4 inches, the resulting cardigan would be a little bigger. I didn’t see it as a problem and so I cast on for size two years.

I find that the coconut buttons goes well with the color of the cardigan!

This cardigan is knit from top to bottom, seamless.

First, we cast on the stitches of the yoke. Yoke is worked as the same time as we do increases to shape the raglan sleeves. After separating the stitches of the sleeves to put them on hold, it’s time to knit the body. One row full of increases is worked to give it more volume, it looks like an overcoat. The stitches of the sleeves are worked on the round, seamlessly. The stitches of the collar are picked up from the yoke. Then we have to knit the pockets.

Just like the other time I knit it, I started the cardigan from the collar (not from the yoke), so I wouldn’t have to pick those stitches later. Once I finished knitting the collar, I increased 6 stitches at each side to make the buttonband, and then I proceeded to knit the yoke.

And to sew the pockets on, I used figures 77 and 78 of this tutorial again. And again, I tried and tried to sew them until they were perfect!

Now, I hope it will fit little Isadora!

Pattern: Flora by Kate Blackburn, who kindly authorized the publication of the translation of the pattern into portuguese.
Yarn: Circulo Yarn Lã Seda, color 6434
Needle: circular KnitPro US #9 – 40 inches long

See this project on Ravelry

Anúncios

corujinhas nos pampas

Imagino que por agora esteja acontecendo o chá de bebê da Manuela e que sua mamãe, a Susana Delvan, esteja recebendo todo o carinho de muitas tricoteiras na forma de peças de tricô tecidas especialmente para sua pequena.

Susana, receba meu forte abraço! Queria estar reunida com você nessa festa mas não foi possível dessa vez. Muita energia e saúde para vocês duas!

tricô em prosa.com - Casaco de Corujas para Manuela

Como eu me conheço e sei não consigo me entender com prazos, montei os pontos desse casaco muito tempo atrás, tal era o medo de que não conseguisse terminá-lo a tempo. Contrariando minhas previsões de tormenta no horizonte, tudo fluiu perfeitamente.

tricô em prosa.com - Casaco de Corujas para Manuela

Como sempre, acrescentei um cartão com dois botões extras para a Susana não se preocupar caso algum botão do cardigã venha a se perder.

Ele foi tecido no tamanho 6 meses. As modificações que fiz foi tricotá-lo como cardigã (no lugar de pulôver) e acrescentar uma gola mais longa, para ser usada dobrada.

Casaco de Corujas para Manuela

Para quebrar a sisudez do marrom escuro, usei botões nas cores vermelho, rosa e roxo para fazer os olhos das corujas.

trico em prosa.com - Casaco de Corujas para Manuela - Costas

Muito obrigada, Suzi Musse, pelo convite para participar do chá de bebê da Manuela e dessa forma contribuir, à minha maneira, para deixá-la sempre aquecida e abraçada.

Receita: Owlet por Kate Davies (em inglês, também pode ser comprada no Ravelry)
Fio: Pingouin Sedificada na cor Marrom 725
Agulha: circular núm. 5,5mm e 6,0mm de 100cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry.

com corujas na mala

Montei os pontos desse casaco em meados de dezembro. No fim daquele mês, quando viajei para a casa de meus pais para passar o Natal, não queria esquecer nada que me impedisse de terminar o casaco. Queria levar todo o material necessário para tricotar o casaco, medi-lo, cortar o fio e embutir as pontas.

tricô em prosa - Casaco Owlet

Então fiz uma lista dos itens essenciais que colocaria na bolsa de tricô:

  • fio
  • agulha de tricô
  • fita métrica
  • tesoura
  • agulha de tapeçaria.
  • receita + anotações da receita

Ainda acrescentei na minha bolsa de tricô: um novelo extra, uma agulha de crochê (ótima na emergência de algum ponto caído), anéis marcadores de pontos (fechados) e anéis marcadores de carreiras (abertos).

tricô em prosa - Casaco Owlet - detalhe das costas

Para tricotar as mangas levei pedaços de fio para segurar pontos e uma agulha circular com numeração maior que a usada no casaco. É que quando tricoto de maneira aberta (virando o trabalho no fim da carreira e trabalhando o avesso em tricô), minha tensão é mais relaxada do que quando tricoto apenas em ponto meia, circularmente. Daí que tenho que usar uma agulha de numeração maior para tricotar as mangas com a mesma tensão do corpo do casaco.

No iPad estavam o PDF da receita e as anotações das modificações feitas no Notes. Foi assim que me preparei para passar uma semana na casa de meus pais. Voltei para casa com o casaco terminado, faltando apenas embutir as pontas e pregar os botões.

tricô em prosa - Casaco Owlet

A receita original é de pulôver, mas eu a transformei em cardigã pois acho mais fácil para vestir. Além dos pontos necessários para tricotar o casaco, acrescentei 6 pontos de cada lado para fazer a barra de botões e 2 pontos para separar a última coruja dessa barra.

Valeu muito a pena comprar essa receita! Ela apresenta instruções para tricotar o casaco em 10 tamanhos que variam de 6 meses à 10 anos de idade. O tamanho escolhido foi o de 18-24 meses, que espero ser o tamanho certo. O casaco é tricotado de baixo para cima (bottom-up) e sem costuras, exceto por 6 pontos que unem as mangas ao corpo, no qual usei o arremate de três agulhas.

tricô em prosa - Casaco Owlet - detalhe das costas

Desde que terminei esse cardigã, já tricotei outro e estou dando acabamento no terceiro casaco de coruja. Fácil e gratificante, espero que as três mamães apreciem o mimo.

Receita: Owlet por Kate Davies (em inglês, também pode ser comprada no Ravelry)
Fio: Pingouin Noblesse na cor Marrom 2792
Agulha: circular núm. 5,0mm e 5,5mm de 100cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry.

algum progresso, talvez

Essa semana completa pouco mais de um mês desde que montei os pontos do meu casaco Lauriel. Ele já está bem avançado, falta apenas tricotar a manga direita, pregar os botões e embutir os fios. Mas pode ser que eu desmanche uma parte considerável do corpo, pelos motivos que explicarei em seguida.

Cardigan Lauriel

Uma questão é o comprimento do casaco, bem mais longo do que eu imaginava. No início achei legal mas agora quero deixá-lo pelo menos uns 10 centímetros mais curto. Do jeito que está, não tem jeito de usar o casaco com todos os botões fechados. Como é um casaco mais justo, deveria ter trabalhado alguns aumentos para acomodar o quadril.

Cardigan Lauriel

Outro bom motivo aparece na fotografia acima. Veja que a barra do casaco possui várias sequências de dois pontos meias torcidos. Agora acompanhe essa sequência e você encontrará uma sequência intrusa com três meias torcidos. Falei para mim mesma que esse errinho seria a prova de que fui eu mesma quem tricotou o casaco… mas ainda não me convenci!

Cardigan Lauriel

Fico hesitando, mas aquela voz interior não se cansa de dizer que desmanchar é a coisa certa a fazer. Meu marido também concorda com essa voz, ele diz que agora é a hora, que mais tarde vou me arrepender. Eu vou continuar ignorando ambas as vozes até que a manga direita esteja pronta. Então vou experimentar o casaco, ver no espelho como ele fica com as duas mangas e vou desmanchar.

Vou desmanchar as duas barras dos botões e depois vou desmanchar uns 20 centímetros do corpo do casaco. Em seguida vou me sentar feliz da vida e tricotar tudo novamente, agradecida por ter tido a chance de refazer da maneira certa.
É assim que eu sou!

Receita: Lauriel do livro Little Red In The City de Ysolda
Fio: Cisne Merino, cor 4025
Agulhas: circular Addi Lace número 3,0mm de 100 cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

o que poderia sair errado?

Depois de tricotar as amostras, finalmente montei os pontos do cardigã Lauriel. Feliz, tricotei em todos os momentos possíveis. Ultimamente, tenho tricotado após minha corrida noturna no clube. Ritual gratificante: termino minha corrida, faço algum abdominal, muito alongamento, depois uma ducha deliciosa e vou para o restaurante para esperar meu marido. É nessa hora que consigo tricotar pouco mais de uma hora sem intervalos.

Rapidamente concluí a gola do cardigã e, de pouco em pouco, terminei os aumentos que formam as mangas. Pronta para tricotar o corpo, deveria então colocar os pontos das mangas em espera transferindo-os para um fio descartável.

Lauriel

Não estava nem um pouco preocupada afinal eu tinha a) lido a receita várias vezes, b) confirmado que tinha em estoque a quantidade de fio necessária para tricotar todo o cardigã, e c) trabalhado as amostras para escolher a agulha correta. Tudo como manda o figurino. O que poderia dar errado?

Antes de transferir os pontos das mangas aproveitei para contá-los. Para minha surpresa a conta não conferiu. Contei de novo. E contei mais uma vez. Não tinha jeito, uma manga tinha 5 pontos a mais que a outra. Cinco! Será que o excesso de empolgação fez com que eu me esquecesse de contar os aumentos à medida em que avançava as carreiras?

Lauriel

Nesses casos só tem uma coisa a ser feita: desmanchei várias e várias carreiras quase chegando ao início dos aumentos das mangas. Agora, após várias corridas no clube, alcancei o ponto onde havia parado e as mangas estão idênticas.

É a primeira vez que tricoto um casaco sem costuras com modelagem tradicional dos casacos costurados. Como podemos ver nessa fotografia, esse cardigã não tem pala circular. Suas mangas tampouco são raglãs. São mangas encaixadas tradicionais iniciadas a partir da gola e sua modelagem é embutida em cada carreira. Na fotografia abaixo, podemos ver a página do livro Little Red In The City mostrando o esquema geral do Lauriel com a modelagem das mangas:

Lauriel

Para terminar, gostaria de parafraser Coração Tranquilo de Walter Franco: tudo é uma questão de manter a mente contado, as mãos tricotando e o coração tranquilo!

Receita: Lauriel do livro Little Red In The City de Ysolda
Fio: Cisne Merino, cor 4025
Agulhas: circular Addi Lace número 3,0mm de 100 cm de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

After knitting the swatches, I finally casted on the stitches of Lauriel cardigan. I felt extremely happy and I knitted at every time it was possible. Lately, I’ve been knitting after my night runs at the club. It was a gratifying ritual: I finished running, worked some abs, stretched a lot, then I went to take a good shower and afterwards I went to the restaurant to wait for my husband. That’s when I could knit more than one hour without interruption.

I finished the collar very quickly and, bit by bit, I finished the increases that shape the sleeves. When everything was ready for the beginning of the body, I should put the sleeve stitches on hold on a waste yarn.

I wasn’t worried at all, because a) I had read the pattern several times, b) I made sure I had the quantity of yarn that was needed to knit the entire cardigan, and c) I had knit the swatches to pick up the right needle. I did everything expected from a “serious” knitter. What could go wrong?

Before putting the stitches on hold I took the time to count them. Surprisingly the count didn’t match. I counted them again. And I counted one more time. It was worthless, one sleeve had 5 stitches more than the other one. Five! The excess of enthusiasm had made me forget to count the increases as I knitted the rows?

There was only one thing to do: I frogged several rows back to the beginning of the increases for the sleeves. Now, after lots of runnings at the club, I reached the point I was before and the sleeves are identicle.

This is the first time I knit a seamless cardigan with sleeves that have the tradicional shape of set-in sleeves. As we can see in this photograph, this cardigan doesn’t have a circular yoke. It’s sleeves aren’t raglan sleeves, also. Those are tradicional sleeves started from the collar down and it’s shape is worked on each row. In the photograph below, we can see the page of the book Little Red In The City that shows the overall schema of the Lauriel cardigan with the shape of the sleeves.

Before I finish, I’d like to paraphrase Walter Franco‘s Coração Tranquilo: it’s only a matter of keeping the mind counting, the hands knitting and the heart calm!

Pattern: Lauriel from the book Little Red In The City by Ysolda
Yarn: Cisne Merino, color 4025
Needles: 40 inch circular Addi Lace US #6

See this project on Ravelry