meias ondulantes

​Depois de tecer dois pares de meias para minha mãe, ambas com fio em tons de rosa, estava me preparando para tecer seu terceiro par com um fio de cor lilás. Então me dei conta desse padrão de cores e não gostei.

Decidi usar um fio de cor cinza granito que foi tingido à mão pela querida Sandra Baroni, proprietária da loja TricôTricô Fios. E para compensar a “sisudez” dessa bela cor, escolhi uma receita de meias rendadas que há muitos anos eu sou completamente apaixonada.

O ponto rendado dessa receita é perfeito para meias porque mistura pontos tricô com pontos meia, o que dá certa elasticidade à trama. É também é um ponto fácil de ser memorizado.

tricô em prosa - Meias Waving Lace

Em geral, meias são rápidas de tricotar. A quantidade de pontos necessária para uma volta é pouca, de modo que rapidamente o primeiro pé é terminado. Em duas semanas, tenho um par de meias terminado, pronto para ser embalado e presenteado!

Mas não foi assim que aconteceu dessa vez.

Nos últimos seis meses pelo menos, tenho várias peças iniciadas. Isso é algo novo para mim. Sempre gostei de tricotar uma peça de cada vez. Nas poucas vezes em que tricotei duas peças ao mesmo tempo, eu interrompi uma peça que iria levar muito tempo para ser concluída, para tecer uma peça mais rápida. Em poucos dias eu já retornava à peça anterior. Mas agora eu perdi o controle. Sempre tem umas três peças iniciadas, demoro muito para terminar uma e já monto os pontos de outras duas.

tricô em prosa - Meias Waving Lace

A grande vantagem de ter muitas peças em andamento é que quando surge uma oportunidade para tricotar, basta escolher uma das peças e ser feliz! Se a ocasião permitir podemos dar atenção à uma peça que requer maior concentração. Se não, é só escolher uma peça mais simples.

A grande desvantagem é que quando chega a hora de fazer algum tipo de acabamento que requer mais atenção, eu deixo essa peça de lado e dou prosseguimento às demais. Como resultado eu tricoto, tricoto, tricoto, mas nenhuma peça é de fato concluída!

tricô em prosa - Meias Waving Lace

Além das várias peças iniciadas, eu só tricotava essas meias quando não estava em casa. Não tem peça melhor para tricotar em público do que meias. São leves, pouco volumosas, cabem nas bolsas que uso no dia a dia. Daí que demorei dois meses para terminar o primeiro pé. E na hora de costurar o dedo, eu não o fiz. Substitui a agulha circular por outras de pontas duplas e deixei o pé inacabado por um mês. Enquanto isso, montei os pontos do segundo pé.

Eventualmente eu retornei ao primeiro pé, fiz a costura em grafting do dedo, embuti as pontas, lavei e coloquei para secar.

E o segundo pé teve o mesmo destino que o primeiro, ou seja, ficou de molho até o último segundo! Só fui costurar o dedo e fazer o acabamento quando viajei para a casa de meus pais para passar o Natal e o Ano Novo. Nas fotografias, é minha mãe quem exibe o seu novo par.

Receita: Waving Lace Socks de Evenlyn Clark
Fio: Fingering Superwash de TricôTricô Fios
Composição: 100% lã de ovelha Corriedale
Agulhas: circular número 2,5mm de 100 centímetros de comprimento

Veja essas meias no Ravelry

cinza como um dia de chuva

Adoro dias de chuva. Gosto de ouvir a chuva, gosto de ouvir trovões. O clima fica ameno, algo raro na região onde moro. É um presente e uma alegria!

Quando teci o protótipo da versão larga do gorro Amanara, aquele de cor roxa, eu usei agulhas maiores e também montei menos pontos. Ainda faltava tricotar a versão larga dessa receita sem fazer nenhuma modificação.

tricô em prosa - cinza como um dia de chuva - Gorro Amanara

Amanara significa dia de chuva na língua indígena. Então para tecer esse gorro eu escolhi um tom de cinza bem clarinho, que bem lembra um dia chuvoso.

Foi muito rápido tricotá-lo!

tricô em prosa - cinza como um dia de chuva - Gorro Amanara

Ainda aproveitei uma tarde de sábado para fotografar um tutorial sobre como fazer trança sem agulha auxiliar usando as tranças dessa receita.

tricô em prosa - cinza como um dia de chuva - Gorro Amanara

Eu ainda quero tricotar um montão de gorros e sair presenteando entre amigos e família. Vamos ver se vai rolar porque no momento estou morrendo de vontade de montar os pontos de um xale!

Receita: Gorro Amanara de Valéria Garcia
Fio: Cisne Cetim – cor 879 (cinza claro)
Composição: 30% lã, 70% acrílico
Agulha: circular número 3,5mm e 4mm

Veja esse gorro no Ravelry

muito amor para o matheus

Desde que bati os olhos nessa receita, fiquei completamente encantada. Modelos clássicos sempre me atraem. E ainda por cima, grátis! Eu até tentei encontrar outra receita tão encantadora como essa, mas nada me fascinava. Queria ver o Matheus vestindo esse macacãozinho e ponto!

tricô em prosa - Combinaison Layette

Imprimi o arquivo PDF e comecei a decifrar cada passo da receita, escrita em francês. Achei o padrão usado pela Phildar bem diferente. No início tive problemas para compreender a frequência das diminuições. Lendo alguns fóruns de tricoteiras francesas (elas também se confundem), consegui pegar o espírito da coisa.

O macacão é tricotado de baixo para cima. Primeiro as costas, depois a frente, e posteriormente as duas partes sāo costuradas. Dias mais tarde, depois de inúmeras anotações e observações, encontrei uma maneira de tecer a receita circularmente, restringindo as costuras para três pequenas áreas: as alças e na regiāo entre as pernas.

pernas

Escolhi fazer o tamanho seis meses. Montei os pontos para a barra da perna usando agulhas 2,5mm e trabalhei de modo circular.

Ao final da barra eu deveria distribuir 14 aumentos em 62 pontos.

A maioria das receitas que tricoto informa a sequência dos pontos da carreira de aumentos. Mas essa receita não. Basta dividir o número de pontos da carreira pelo número de aumentos que desejamos fazer. Facílimo quando a divisão resulta em um número inteiro com o resto igual à zero. Mas no meu caso, 62 não é divisível por 14. O resto da divisão é seis e não zero!

tricô em prosa - Combinaison Layette

Pois bem, eu tenho um livro escrito pela Elizabeth Zimmermann no qual ela ensina como calcular a distribuição uniforme de aumentos em uma carreira. Olha como é simples: se o resto da divisão não for zero, então devemos subtrair uma unidade da quantidade de aumentos e refazer a conta. Ao dividir 62 por 13 temos como resultado o quociente 4 e resto 10. Ou seja, para distribuir uniformemente 14 aumentos em 62 pontos basta fazer:
5pts, 1aum, [4pts, 1aum] 13 vezes, 5pts. Os cinco pontos iniciais e finais é o resto (dez) dividido por dois.

Se o resto da divisão for um número ímpar, basta distribuir a quantidade de pontos do resto no início e no final da carreira, de maneira que, ao serem somados, igualem-se ao resto. Por exemplo, eu poderia distribuir os aumentos assim: 3pts, 1aum, [4pts, 1aum] 13 vezes, 7pts (onde 3pts + 7pts = 10 pts do resto). Ainda teria 14 aumentos distribuídos, ainda que de maneira não muito uniforme, mas ilustra bem como proceder for ímpar.

Depois de trabalhar os aumentos, troquei para agulhas número 3,0mm para terminar o restante da perna, seguindo à risca as instruções da receita. Ao terminar a perna eu não arrematei, apenas deixei os pontos em espera e em seguida comecei a tricotar a outra perna. Uni uma perna à outra como se unisse as mangas de um suéter sem costuras. Estava pronta para tricotar o corpo de maneira circular.

o corpo

Trabalhei o corpo do macacãozinho circularmente até que chegou a hora de colocar os pontos do painel frontal com botões em espera. A partir daí, tive de tricotar ida e volta, virando o trabalho no final da carreira.

Como eu faço o ponto meia bem mais apertado que o ponto tricô, usei uma dica ótima da Ann Budd: o lado direito, em meia, teci com agulha número 3,0mm, e o lado avesso, tecido em tricô, usei uma agulha de numeração um pouco menor, de 2,75mm. De fato, não deu para ver a diferença entre a parte tecida circularmente toda em meia, com a parte tecida em ida e volta.

tricô em prosa - Combinaison Layette

Fiz o mesmo quando tricotei o painel frontal do macacão. O lado direito foi tecido com agulha 3mm e o lado avesso com agulha 2,75mm. A receita original não instrui tecer as extremidades do painel em cordões de tricô. Mas eu preferi fazer assim para garantir que não ficasse enrolando.

as alças

Por último tricotei as alças do macacão em cordões de tricô usando agulhas 2,5mm. As alças frontais foram costuradas às alças posteriores usando costura invisível, ou seja, fazendo grafting em cordões de tricô, que não achei tão complicado de fazer. Primeiro, é necessário que a última carreira da agulha da frente tenha sido trabalhada em pontos tricô e que a última carreira da agulha de trás tenha sido trabalhada em pontos meia. Como de costume, o fio usado para costurar vem da agulha de trás. Os pontos são trabalhados da direita para a esquerda.

Na etapa preparatória, deve-se inserir a agulha no primeiro ponto da agulha da frente, em tricô, e em seguida inserir a agulha no primeiro ponto da agulha de trás, também em tricô.

Passo 1: Na agulha da frente, inserir a agulha, em meia, no primeiro ponto e remover esse ponto da agulha. Inserir a agulha no próximo ponto, em tricô, e deixar esse ponto na agulha.

Passo 2: Na agulha de trás, inserir a agulha, em meia, no primeiro ponto e remover esse ponto da agulha. Inserir a agulha, em tricô, no próximo ponto e deixar esse ponto na agulha.

Repetir os passos 1 e 2 até que todos os pontos tenham sido costurados. O mantra seria “meia, tricô, meia, tricô”. Ficou nota dez!

botões

Antes de pregar os botões, eu lavei o macacãozinho em água com sabão neutro (gosto do Ola) e deixei um dia inteiro secando bem esticado em placas de EVA. Como não encontrei botões que combinassem com o tom de verde do fio, escolhi botões de metal, tom de cobre.

tricô em prosa - Combinaison Layette

Para fazer o tamanho seis meses usei menos de uma bola de fio. Ainda sobraram 25 gramas.

Simplesmente adorei tricotar essa receita e com certeza vou tricotá-la novamente! Eu me inundava de felicidade, principalmente porque o pensamento estava sempre no forte e valente Matheus!

Receita: Combinaison Layette da Equipe Phildar
Fio: Fio Pingouin Bella – cor 2610
Composição: 100% algodão mercerizado
Agulhas: circulares número 2,5mm, 2,75 e 3,0mm de 100 centímetros de comprimento

Veja essa peça no Ravelry

variações sobre um mesmo gorro

Passei pouco mais de um mês me divertindo a beça tricotando esses gorros. Eu me encantei com um ponto que encontrei no Pinterest, decifrei seu gráfico e comecei a brincar.

tricô em prosa - Gorro Amanara

Cada um dos gorros foi completamente desmanchado depois de pronto pelo menos uma vez. O roxo foi desmanchado duas vezes. Isso sem contar as inúmeras diminuições para fechar o topo do gorro iam surgindo a cada versão.

No início de agosto eu peguei restos de um fio azul marinho que sobrou de um casaquinho de bebê e montei os pontos da primeira versão. Montei 96 pontos. Usei agulhas número 3,5mm para a barra e agulhas número 4mm para o corpo do gorro.

blog Tricô em Prosa - Gorro Amanara Adulto Justo

Foram três tentativas para fazer as diminuições do topo do gorro. O topo ficou legal, mas o gorro ficou muito apertado na barra. Desmanchei tudo e imediatamente montei os pontos para tricotá-lo de novo, dessa vez usando 120 pontos.

É a segunda versão do gorro azul marinho que está sendo exibido nas fotografias. Em breve será presenteado.

Bem, a essa altura já estava apaixonada pelo ponto. Comecei a vislumbrar uma maneira de transformar o gorro em boina. Rascunhei a transição dos pontos da barra para o corpo posicionando os aumentos de modo que ficassem mais ou menos camuflados. Ou assim eu imaginei.

tricô em prosa - Gorro Amanara Adulto Largo

Na versão boina, o fio roxo que usei também são restos de outro casaquinho de bebê.

Mais ou menos na metade da boina, pouco antes de iniciar as diminuições para o topo, uma transição bem mais “elegante” da barra para o corpo surgiu do nada. Redesenhei a nova transição, desmanchei tudo com exceção da barra e então recomecei. Realmente, ficou muito mais “elegante”. Por enquanto, esse gorro vai ser meu companheiro.

Finalmente, morrendo de curiosidade, resolvi tecer outro gorro na versão justa, aumentando um pouco a numeração das agulhas. Usei agulhas 4mm para a barra e agulhas 4,5mm para restante do gorro. Montei 96 pontos. Terminei e fui experimentar. Ficou longo, mas assim, muito longo… e rígido. Mais parecia que eu estava usando um cone de tricô na minha cabeça! Não!

blog Tricô em Prosa - Gorro Amanara Adulto Justo

Desmanchei todo o gorro e refiz usando agulhas número 3,5mm para a barra e 4mm para o corpo. Só que dessa vez eu montei 108 pontos.

Elaborei outra diminuição para o topo do gorro. De todas as diminuições para o topo, essa última foi a que mais gostei. Antes de molhar, o gorro servia direitinho. Depois que lavei ele cresceu um pouco, mas ficou engraçadinho. Decidi mantê-lo como está.
Esse gorro não será meu companheiro, vai ser presenteado em breve.

Eu escrevi a receita do gorro, caso queiram se aventurar. É uma peça bem rápida de se fazer.

Receita: Gorro Amanara de Valéria Garcia
Fio: Cisne Cetim e Lã Seda da Círculo
Composição: 70% acrílico, 30% lã
Agulha: circular número 3,5mm e 4,0mm de 60 centímetros de comprimento

Veja o gorro Amanara azul marinho no Ravelry
Veja o gorro Amanara roxo no Ravelry
Veja o gorro Amanara cinza no Ravelry