receita traduzida – Gorro Rosalina

trico em prosa.com - Receita traduzida do gorro RosalinaQuando vi essa receita, me apaixonei de imediato. Aliás, fiquei encantada com a beleza de várias receitas finlandesas.

A generosa designer Vera-Leksa Sula prontamente autorizou a publicação da tradução do gorro Rosalina para o português. Thank you very much, Vera-Leksa!

A fotografia ao lado mostra o gorro Rosalina que teci com fio 100% algodão, sem as contas de vidro, para presentear uma amiga especial. Planejo tricotá-la novamente, dessa vez usando contas e tudo mais!

para meninos e meninas

Anos atrás, presentei minha sogra com um gorro Odessa. Na época, ela me disse que queria fazer gorros dessa receita para as netas dela. Então eu mandei para ela uma caixa com tudo que ela iria precisar: novelos em duas cores (rosa e creme), contas furta-cor e peroladas combinando com os fios, dois números de agulhas circulares, dois conjuntos de agulhas de pontas duplas e a impressão da receita.

No início desse ano, durante uma visita, ela me mostrou essa caixinha. Até a cartinha que escrevi estava lá! Ela tentou tricotar os gorros mas disse que não tem mais cabeça para o tricô. E pediu que eu os tricotasse para ela.

Esses gorros serão presenteados para os irmãos Dafne e Caio e para os irmãos Mariana e Raphael.

tricô em prosa - Gorros Odessa

Para as meninas teci gorros Odessa, seguidos à risca, sem nenhuma modificação.

Adoro tricotar esse gorro! Desenvolvi uma maneira própria de seguir essa receita. Na décima volta com contas eu gosto de trabalhar a primeira volta de diminuições do topo do gorro.

tricô em prosa.com - Gorros Odessa

Para os meninos teci o gorro Knotty But Nice.

Lendo algumas declarações no Ravelry, algumas pessoas reclamavam que a trança ficava muito rígida ao vestir. Então usei um número maior só para a trança. Montei os pontos com agulhas número 3,5 mm e trabalhei a trança com agulhas 4,0 mm, depois retornei para as agulhas número 3,5 mm para finalizar o gorro.

tricô em prosa.com - Gorros Knotty But Nice

Ao iniciar as voltas de diminuições para fechar o topo do primeiro gorro, de cor cinza, me incomodou o fato das colunas de dois pontos meias se transformar em um único ponto meia. Achei que quebrou a fluidez das colunas. Foi isso que modifiquei ao tricotar o segundo gorro, de cor marrom.

Ao tecer o segundo gorro, no lugar de “[(2t, 2m) duas vezes, 2t, 2pjm]” eu trabalhei dessa maneira: “[(2t, 2m) duas vezes, 1t, 2pjm, 1m]“. Nas voltas subsequentes, mantive esse padrão trabalhando o 2pjm um ponto antes e trabalhando em meia o ponto após a diminuição. Desse modo, a coluna de dois pontos meias foi mantida até o fim.

O visual ficou mais agradável e coerente.

tricô em prosa.com - Gorros Knotty But Nice

Satisfeita com o resultado, desmanchei o topo do gorro cinza para refazê-lo, mas de maneira diferente.

Como cada repetição do gráfico tem 24 pontos, então eu trabalhei uma diminuição inclinada à esquerda (2pjm) na terceira coluna do gráfico e uma diminuição inclinada à direita (ssk) na coluna 21. Dessa maneira, as barras das extremidades se curvam para o centro do gráfico. Improvisei no finalzinho, quando restam poucos pontos nas agulhas, mas gostei muito desse resultado também!

Receita: Gorro Odessa de Grumperina, que gentilmente autorizou a publicação da tradução de sua receita para o português
Fio: Pingouin Noblesse nas cores Nínive 701 e Suprema 4303
Agulha: número 3,00 mm e 3,50 mm
Veja esse projeto no Ravelry

Receita: Gorro Knotty But Nice de Natalie Larson, que gentilmente autorizou a publicação tradução de sua receita para o português
Fio: Pingouin Noblesse nas cores Platinado 1818 e Marrom 2792
Agulha: número 4,00 mm e 4,50 cm
Veja esse projeto no Ravelry

o primeiro xale e um agradecimento

Antes de tricotar xales eu achava que nunca usaria um. Via todos aqueles xales exuberantes, admirava-os, mas achava que eles só seriam indicados para ocasiões formais, como um casamento.

O primeiro xale que teci seria presenteado para a senhora que aluga sua sala comercial para o meu marido. Ela é muito atenciosa, sempre nos manda frutas do seu sítio, ovos frescos, pão de queijo, mexericas… Um amor! Eu queria muito tricotar um mimo bem bonito para ela e retribuir toda atenção e simpatia.

Bitterroot Shawlette

Meu primeiro impulso foi tricotar um cachecol, uma vez que é prático, não precisa tirar medidas, basta que seja longo o suficiente para dar uma volta no pescoço. Mas me deparei com a receita do xale Bitterroot da Rosemary (Romi) Hill. Li a receita várias vezes e me pareceu fácil. Como eu tinha um fio 100% algodão de espessura similar à requisitada pela receita, resolvi tentar tecer o de tamanho menor.

Tricotar o primeiro xale foi um marco. Foi quando vi que era capaz de tricotar renda. E melhor de tudo, descobri que tricotar renda não era difícil. Também foi a primeira peça que bloqueei. Adorei essa etapa, foi mágico assistir a renda se mostrar tão bela depois de molhar e esticar a trama.

Bitterroot ShawletteDepois que o xale ficou pronto eu me apaixonei por ele e não queria entregar o presente de jeito nenhum! Fui trabalhar usando esse xale com uma camiseta da mesma cor e calça jeans preta. Ele mora no meu guarda-roupa desde então. A proprietária da sala comercial? Assei um bolo integral de banana com castanhas-do-pará que ela gostou tanto que me pediu receita :-)

Voltei a tricotar o xale Bitterroot, só que no tamanho grande. Dessa vez consegui desapegar, ele foi enviado para minha mamãe. Ainda encantada, pedi autorização para publicar a tradução do xale Bitterroot para o português.

Ando pensando muito na história do primeiro xale e no quanto eu sou eternamente grata às designers, essas pessoas que criam peças tão bonitas e disponibilizam a receita. Admiro-as pelo dom de criar e por nos ensinar a tricotar essas peças.

Sobretudo, agradeço a oportunidade que elas nos dão de comprar suas receitas. Nada mais frustrante que ver uma receita linda no Ravelry e descobrir que é uma receita pessoal. Mas fazer o quê? Escrever uma receita não é tarefa fácil.

De coração, muito obrigada. Eu nunca me aventuraria a tricotar renda não fosse todo esse trabalho de vocês, designers.

paz, tricô, amor e amigas

Um dia, conversando com a Paula Nina por e-mail, comentei que a logomarca de seu do blog Peace Knit Love daria um belíssimo broche de xale. Na mesma hora ela encaminhou a mensagem para uma amiga que lhe respondeu que conhecia alguém que poderia fabricar a peça! Foi assim mesmo, rápido e online!

Aeolian com PeaceKnitLove

Então essa semana recebi um pacotinho dos Correios com o lindo broche de xale e também adoráveis marcadores de pontos em formato de coração!

Aeolian com PeaceKnitLove

Para exibir o broche escolhi o Xale Aeolian por dois bons motivos! O primeiro motivo é que eu apenas havia fotografado o xale ainda em fase de bloqueamento, cheio de alfinetes.

Aeolian com PeaceKnitLove

O segundo motivo, e também o mais importante, é que minha sofisticada amiga Neide Giglio pediu para ver fotografias do xale no corpo ainda na época em o xale foi finalizado. Neide, eu caprichei nas fotografias, viu?

Aeolian com PeaceKnitLove

Obrigada Nina Paula e Neide Boasky!
Obrigada pela amizade deliciosa!