uma prenda delicada

Ela não sabe mas desde o ano passado eu havia feito um compromisso comigo mesma de presenteá-la esse ano com um xale tecido à mão. Então um dia desses fui surpreendida pela proximidade da data de seu aniversário. Funcionando em modo de emergência, me armei com receita, agulhas e um fio de cor calorosa, que combina perfeitamente com a alegria da aniversariante. Feliz aniversário, Maryse!

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Confesso que no dia em que montei os pontos desse xale sentia uma espécie de medo crescente de não conseguir finalizá-lo a tempo. Não disponho de muito tempo livre para tricotar e eu queria tricotar uma peça rendada, o que requer checar o gráfico constantemente, contar os pontos com mais frequência, enfim, requer mais atenção. Na maioria dos xales que tricotei, a renda é trabalhada somente nas carreiras do lado direito sendo que as carreiras do avesso são trabalhadas unicamente em ponto tricô. Entretanto, nessa receita a renda é trabalhada em todas as carreiras. Cheguei a pensar que tinha escolhido a receita errada mas agora estou muito contente por ter persistido!

Gráfico A
O xale é tricotado de baixo para cima. Primeiro devemos tecer o gráfico A. De tempos em tempos, é necessário montar dezessete pontos no final de uma carreira, e depois montar dezoito pontos do final da carreira seguinte. Usei a montagem cable cast on no lugar da montagem tricotada.

O medo de não conseguir finalizar a tempo me acompanhou durante todas as linhas do primeiro gráfico. Aos poucos me familiarizei com sua construção e quando o gráfico A foi concluído, aconteceu o inesperado: tricotar esse xale tornou-se muito fácil! Tive certeza de que cumpriria o prazo com (bastante) folga!

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Gráfico B
A próxima etapa seria repetir o gráfico B quantas vezes quisesse. Para tecer as repetições desse gráfico eu precisava prestar atenção (aliás, bastante atenção) nas duas primeiras linhas. É nelas que acontecem os aumentos no final das carreiras e que os marcadores devem ser reposicionados.

Demorei um pouco para determinar os locais onde eu precisava de marcadores de pontos. Sem marcadores fica muito confuso. Então, uma dica que só vai fazer sentido para quem quiser tricotar essa receita. Eu usei 3 pares diferentes de marcadores. A Linha 1 do Gráfico B é trabalhada no avesso. Eu colocava um marcador na posição 8 da Linha 1 e outro idêntico na posição 8 da Linha 2. Colocava outro marcador na posição 18 da Linha 1 e outro idêntico na posição 18 da Linha 2. Também colocava marcadores para delimitar a parte contornada em vermelho no gráfico, de modo que um marcador ficava na posição 35 da Linha 1 e o outro era colocado 31 pontos antes do final dessa mesma Linha 1.

Outra dica é destacar com caneta hidrográfica os quadradinhos contendo o ponto pppt (ou sssk) na Linha 2 do Gráfico B, isso ajudou bastante. Essa dica aprendi nessa publicação da querida designer Paula Nina.

Eu repeti o gráfico B sete vezes. Sempre que alcançava a última linha do gráfico eu removia todos os marcadores à medida que os encontrava para então reposicioná-los nas duas linhas iniciais da próxima repetição do gráfico. As demais linhas seguem uma lógica fácil de memorizar. Nessa etapa eu levava o xale na bolsa e tricotava em todo lugar. Tricotar essa renda me dava um enorme prazer.

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Gráfico C
Algo muito legal nessa receita é que podemos parar de tecer o xale a qualquer momento, em qualquer uma das linhas 6 à 12 do gráfico B ou então em qualquer linha do gráfico C. Eu preferi tricotar o gráfico C inteiro e só depois arrematar.

Arremate
Para o arremate, foi a primeira vez que usei o arremate em i-cord, com uma pequena diferença: esse i-cord é reverso, executado em ponto tricô no lugar do ponto meia. Foi um tanto enfadonho, nessa altura a borda superior tinha muitos e muitos pontos para arrematar, mas combinou demais com essa peça!

Considerações finais
Esse xale foi tecido em 10 dias, finalizado cinco dias antes do aniversário. Foi a primeira vez que usei esse fio. Resistente, ele é formado por três cabos bem torcidos. Mas quando molhei a peça para bloqueá-la, minha mão ficou com minúsculas fibras de algodão. Depois de seco, não vi nenhuma fibra na toalha sobre a qual o xale secou. Mas achei estranho. Sorte que xales não precisam ser lavados com tanta frequência!

Depois de bloqueada a peça ficou com 181 centímetros de comprimento, meu comprimento preferido para cachecóis, e com 39 centímetros de altura. Percebi que a ponta direita, a que foi arrematada primeiro, ficou mais repuxada que a ponta esquerda. Iniciei o arremate apertado e terminei mais frouxo. Ao dobrar o xale pelo meio nota-se essa diferença de comprimento. Então da próxima vez, lembrar de arrematar frouxo.

trico em prosa - uma prenda delicada - Xale Geschenk

Essa receita é perfeita quando desejamos usar pequenas quantidades de fio porque ele é tecido de baixo para cima. Como o barrado é trabalhado primeiro, basta continuar até ter fio suficiente para arrematar.

Outra qualidade dessa receita é sua versatilidade, já que essa peça pode ser usada sobre os ombros como um xale ou estola, ou enrolada em volta do pescoço como um lenço ou cachecol.

Receita: Geschenk de Rosemary (Romi) Hill que gentilmente autorizou a sua tradução para português
Composição: 100% algodão
Fio: Pingouin Tropfil na cor 317 vermelho Soviet
Agulha: circular numeração 3,50mm de 1 metro de comprimento e arremate com 4mm

Veja esse projeto no Ravelry

receita traduzida – Xale Geschenk

Era uma vez uma talentosa designer que ganhou fios de presente e em troca nos presenteou com essa bela receita de xale rendado.

trico em prosa - receita traduzida - Xale Geschenk

Muito generosa, ela autorizou a publicação da tradução do Xale Geschenk para o português! Não é um presentão?

Thank you very much, Rosemary (Romi) Hill!

um xale para o verão

A verdade é que eu não me cabia em mim de vontade de tricotar esse xale, com sua renda plena de flores de campânula.

trico em prosa.com - um xale de verão - Xale Dorothy

Para tecê-lo, não desgrudei os olhos dos gráficos. Repleto de duplas laçadas, a atenção também deve ser dupla. Além disso algumas linhas são trabalhadas também no lado avesso. Os erros que cometi foram descobertos rapidamente, sem necessidade de desmanchar muito, exceto por um, horroroso, percebido tardiamente, do qual falarei mais tarde.

Início
A borda superior desse xale não é trabalhada em cordões de tricô e sim com uma renda bem delicada, diferente.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

O início desse xale não foi simples. Por três vezes tentei montar os pontos mas não conseguia pegar os pontos na lateral nem onde os pontos foram montados. Hora de parar e estudar.

Pesquisando no grupo da designer Jane Araújo no Ravelry eu encontrei essa dica.

A solução foi usar a montagem e-loop sugerida pela designer. Montei os pontos usando essa técnica, teci a primeira carreira, olhei bastante para ver como havia ficado e determinei onde levantaria os pontos nessa extremidade. Segui as demais instruções e funcionou, consegui montar os pontos da borda superior e parti para o gráfico da primeira repetição.

O corpo
Queria fazer o tamanho do xale indicado na receita, com quinze motivos de flor de campânula em cada metade do xale. Para obter quinze motivos em cada metade seriam necessárias oito repetições do gráfico.

Depois que terminei a primeira repetição, pausa para desmanchar e recomeçar usando agulha de numeração menor. Troquei a agulha 4mm pela 3,5mm.

Nos primeiros dias as repetições fluíam rapidamente, a quantidade de pontos nas agulhas ainda era pequena. Usei marcadores de pontos nas laçadas duplas. No prazo de uma semana havia concluído seis repetições e cada metade do xale já exibia onze motivos de flor.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

Na segunda semana estava trabalhando a penúltima repetição do corpo, era o dia do meu aniversário e descobri um erro terrível bem no início do xale, lá na segunda repetição. Isso me deixou muito, muito chateada. Estava pensando em presentear o xale, mas nunca o faria com esse erro horrendo. E não estava nem um pouco a fim de desmanchar até a segunda repetição para refazê-lo.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

Cogitei isolar e desmanchar apenas as colunas de pontos desse elemento e refazer a renda usando agulhas de pontas duplas, como foi mostrado nessa publicação. Quando se trata de tranças é um processo fácil e já fiz algumas vezes. Mas como seria refazer pontos rendados?

Para ter uma ideia do tamanho da tarefa, isolei a coluna e desmanchei apenas a primeira linha. Logo vi que não seria fácil. Refazer renda, que nesse caso é trabalhada algumas vezes também pelo avesso, com um fio tão fino e duplas laçadas… Me acovardei. Então decidi o seguinte: eu exibirei esse erro gritante por aí, esse xale será meu.

A barra
Na terceira semana concluí a oitava e última repetição do corpo e iniciei os gráficos da barra. Nessa altura havia tantos pontos nas agulhas que demorei uma semana para concluir a barra e arrematar. E o arremate em correntinha de crochê, levei três dias para concluir, crochetando no carro, no clube, sempre que tinha uma brechinha.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

O fio
Resolvi experimentar o fio Esterlina e comprei três novelos para tecer esse xale, são 690 metros. Usei menos da metade do terceiro novelo. No mínimo haveria duas junções de fio no trabalho.

Quando o fio acaba, nunca junto um novo fio dando nó do lado avesso. A trama do tricô não é estática, está sempre se ajustando, se acomodando às trações impostas ao manusear a peça, seja ao usá-la ou lavá-la. Sempre há o risco do nó passar para a frente do trabalho e se acomodar ali.

O que faço quando o fio vai acabar é trabalhar até restar uns 15 centímetros, então pego o novo fio deixando sobrar outros 15 centímetros desse fio também. Segurando os dois fios, com as pontas em direções opostas, trabalho dois pontos consecutivos em fio duplo. Então solto o fio mais curto e passo a tricotar com o novo novelo. Fica firme, e sem nó algum. No avesso ficam as duas pontas que serão embutidas na fase de acabamento. E depois de embutidas, fica imperceptível, profissional. Se for um fio mais grosso, trabalho em fio duplo apenas um ponto e basta.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

O primeiro novelo de Esterlina não tinha nenhuma emenda. Já o segundo veio com duas emendas, dois nós super apertados. Tive de cortá-los. Eu já previa dois pares de pontas no avesso porque usaria três novelos. Mas no final, foram quatro pares de pontas, mais a ponta da montagem dos pontos e a ponta do arremate. Mas ficou perfeito, imperceptível, mesmo usando um fio tão fino.

trico em prosa.com - um xale de verão - Dorothy

O xale cresceu bastante depois de bloqueado na sua forma final. É incrível como esse amontoado de pontos cresce depois de molhado e se transforma num verdadeiro xale ao ser bloqueado! Vê-lo esticadinho no chão da sala espetado nas placas de E.V.A me deu uma sensação muito boa!

Apesar dos nós eu gostei muito do fio, do seu caimento, do tato, é fresco!
Tricotar esse xale foi uma delícia!

Receita: Dorothy de Mawelucky/Jane Araújo
Fio: Coats Corrente Esterlina 5
Composição: 100% algodão mercerizado
Agulhas: circular número 3,5mm de 1 metro de comprimento

Veja este projeto no Ravelry

receita traduzida – Cachecol Henry

Em julho eu tricotei esse cachecol para o Diogo.

trico em prosa.com - receita traduzida Cachecol Henry

Em agosto escrevi uma mensagem para a designer, Mareike Sattler, pedindo autorização para traduzir sua receita.

Em setembro a designer respondeu autorizando a publicação da tradução.

Agora, outubro, a tradução do cachecol Henry para o português foi publicada.