3º Encontro Gaúcho de Tricô

O 3° Encontro Gaúcho de Tricô realizado pelo Grupo Tricô Tchê, será em Gramado nos dias 26 a 28 de junho de 2015 e promete muita diversão!

Primeiro porque reúne tricoteiras e 3oEncontroGauchoTrico_585pxtricoteiros apaixonados e dispostos a aprender e ensinar diversas técnicas de tricô. Serão várias oficinas!

Segundo porque tem concurso com prêmio surpresa!

E terceiro porque tem passeio pela Serra Gaúcha ao final do encontro!

Particularmente, esse encontro terá um gostinho todo especial para mim porque vou controlar meu pânico de falar em público e ministrar duas oficinas.

Na sexta-feira vou ministrar a oficina “Aprenda a tricotar meias”. Eu simplesmente adoro tricotar meias. E melhor que tricotar, é usar uma meia tecida à mão. É tão gostoso!

Nessa oficina vou ensinar como tricotar meias top-down, aquelas em que os pontos são montados para a perna e a meia é tecida em direção aos dedos.

Meia é o tipo de peça que à primeira vista parece muito complicado de tricotar. Mas depois que a gente aprende como fazer cada parte de uma meia a gente vê que não tem nada de complicado. É só alegria!
tricô em prosa - 3° Encontro Gaúcho de Tricô - Oficina Aprenda a Tricotar Meias

Durante o curso vamos tricotar uma meia de pequenas dimensões, simples e básica mas completa. Assim teremos a prática de todas as habilidades: montagem elástica dos pontos, aba do calcanhar, volta do calcanhar, nesga, dedos e costura invisível. Com a ajuda da matemática das meias, veremos como alterar seu tamanho, o que devemos observar ao escolher algum ponto e tudo mais que deve ser considerado para personalizar a receita da meia.

Já no sábado eu vou ensinar como tricotar xales na oficina “Xale passo a passo”. Bem, xale é minha segunda paixão. Eu me lembro de como fiquei surpresa depois de ter tricotado meu primeiro xale. É uma sensação única, me senti uma super tricoteira!

mosaicoCursoXale_600x600

Nesse curso, quero mostrar todas as etapas: a montagem invisível, como os diversos formatos são obtidos, o caminho das pedras para não se perder no gráfico. Juntas vamos tecer uma amostra que terá até barrado, então vamos molhar e bloquear.

Agora quero deixar aqui o meu convite para você conhecer todas as oficinas que serão ministradas no  3° Encontro Gaúcho de Tricô. Serão dois dias repletos de oficinas diversas, para pessoas iniciantes no tricô e de nível intermediário. Os professores são pessoas dedicadas e apaixonadas pelo assunto.

Para saber o nível de dificuldade de cada oficina, as formas de pagamento e saber como fazer sua inscrição, acesse http://encontrogauchodetrico.wordpress.com/inscricoes-para-oficinas/

E tem mais uma comodidade, a super comissão organizadora firmou parceria com uma agência de turismo. Assim, além de preços especiais para os participantes do encontro, a agência de turismo oficial do encontro vai se encarregar das passagens, dos traslados, reserva em hotéis, etc.

Enquanto a data do encontro não chega, vou controlando a ansiedade e confeccionando o material de apoio dos cursos. E será uma alegria conhecer você no nesse encontro.

folhas em relevo

Eu sempre quis tecer algumas meias do livro Favorite Socks da Ann Budd. Mas o que me animou mesmo a comprá-lo foi vê-lo no formato Kindle com preço bem mais em conta que a versão impressa.

Bem, eu não tenho o leitor eletrônico Kindle, mas instalei o aplicativo leitor Kindle, que é grátis, no meu iPad e mais tarde instalei a versão Windows no meu notebook.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Algumas vantagens do leitor eletrônico é que posso fazer anotações, marcar várias páginas, ajustar o tamanho das letras ao meu gosto, economizo espaço nas estantes (já abarrotadas) de livros e os dois aplicativos sincronizam, ou seja, se avanço a leitura no iPad quando acesso o livro pelo notebook ele vai para a última página que parei e vice-versa. Uma desvantagem é que não tem como imprimir as páginas, acredito que seja para proteger os direitos autorais.

Já as vantagens desse livro são várias receitas muito bonitas com custo x benefício ótimo! Sobre as desvantagens, não consigo pensar em nenhuma…

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Ainda que estivesse pensando apenas em xales e mais xales, eu precisava tanto tricotar uma receita curta e rápida! Estava decidido, antes de embarcar numa peça mais longa, minha mãe ganharia um par de meias tecidas à mão.

Eu estava com tanta vontade de começar a tricotar que teci um pé da maneira que aprendi no livro Getting Started Knitting Socks, também da Ann Budd.

Da receita original usei apenas a quantidade de pontos solicitada na montagem e o gráfico. Todo o resto, ou seja, a técnica da montagem dos pontos, a volta do calcanhar e os dedos, fiz do jeito que a Ann Budd ensina no livro Getting Started Knitting Socks.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Tricotar essa receita é muito prazeroso. Antes de cortar o fio para fechar os dedos usando grafting fui experimentar as meias pela última vez e tive de dar razão à voz na minha cabeça que ficou dizendo o tempo todo que estava ficando justo demais. Sim, você tinha razão! Ficou muito justo na perna, justo no pé… E com certeza ficaria apertado na minha mãe. Eu tinha usado agulhas com numeração 2,75mm.

Passada a euforia de tricotar algo rápido, eu desmanchei meu pé de meia (literalmente!) e fui ler a receita com mais calma. Aproveitei para aprender a montagem de pontos sugerida pela receita, que é a montagem de pontos em barra 1×1, uma novidade para mim.

Para aumentar a circunferência da perna, usei agulhas com numeração levemente maior, dessa vez 3mm, e também acrescentei mais quatro pontos que foram distribuídos entre os quatro painéis de folhas da perna. Teci duas repetições e meia com as agulhas 3mm e então retornei para as agulhas 2,75mm para tecer o restante.

trico em prosa.com - Meias Embossed Leaves

Também resolvi manter o padrão de folhas na aba do calcanhar. Na receita original o calcanhar não é rendado. Como todas as linhas do gráfico são trabalhadas, eu teria de tecer algumas delas pelo avesso. Por acaso, havia visitado essa página que mostra como trabalhar os pontos no avesso e no direito. O calcanhar ficou do jeitinho que eu queria.

A última modificação da meia foi que mantive os dedos da meia simples, sem o padrão que a designer indica na receita.

Receita: Embossed Leaves de Mona Schmidt
Fio: Shepherd Sock Solid de Lorna’s Laces na cor Manzanita
Composição: 80% merino, 20% nylon
Agulhas: circular de 1 metro de comprimento nas numerações 2,75mm e 3mm

Veja este projeto no Ravelry

receita traduzida – Meias Baudelaire

Meias BaudelaireEis o registro fotográfico das últimas peças que saíram de minhas agulhas: as inebriantes meias Baudelaire.

Elas serão presenteadas para uma amiga muito querida. A Leidinha merece aquecer os pés com muita poesia, vinho e virtude!

Você também ganha presente: a designer gentilmente permitiu a publicação da tradução das Meias Baudelaire para o português. Thank you, Cookie A and Kristi Geraci!

Detalhe: foi da obra “Pequenos Poemas em Prosa” de Charles Baudelaire que tirei o nome do blog!

meias Baudelaire: simplesmente inebriantes

Minha primeira meia tricotada dos dedos para cima. Na verdade, é a terceira versão!

Meias Baudelaire

A primeira versão foi tricotada com agulhas número 2,50mm. Conforme progredia, experimentava a meia tranquilamente. Depois que terminei o calcanhar e avancei para a perna comecei a ter dificuldades em vesti-la pois o meu calcanhar não passava pela perna da meia.

A questão é que na altura da perna o painel de folhas da parte frontal é repetido na parte traseira, o que reduz bastante a elasticidade da trama. Além disso, as laterais que dividem os painéis de folhas era composta de uma trança de quatro pontos entre duas faixas de três pontos tricô, o que também não contribui para melhorar a elasticidade.

A designer Cookie A oferece uma alteração para aumentar o dorso da meia fazendo uma manobra na qual a trança de quatro pontos passaria a ser uma trança de oito pontos. Mas eu não consegui fazer essa manobra de maneira alguma…

Meias Baudelaire

Parti para a solução mais rápida: desmanchar apenas a perna e tricotá-la novamente usando agulhas número 2,75mm e agulhas número 3,00mm nos últimos 10 centímetros. A circunferência aumentou o suficiente para que meu calcanhar passasse, com certo esforço. Eu conseguia calçar a meia, mas as tranças laterais da perna praticamente desapareceram, pois a trama ficou extremamente esticada. Decididamente, não estava nem um pouco bonito.

Resolvi alterar os pontos laterais entre os dois painéis de folhas. No lugar de uma trança de quatro pontos entre as faixas de ponto tricô eu tricotei uma barra 2×2 que é bem mais elástica. O toque foi trançar as colunas em meia a cada 4 voltas. O preço dessa solução foi desmanchar a meia até os dedos para refazer as laterais do painel de folhas desde o início e assim garantir uma transição uniforme ao atingir a altura da perna. Também acrescentei 8 pontos para que a volta da perna ficasse com 72 pontos no total e não os 64 previstos para o tamanho médio. Essa solução achei bem mais agradável visualmente:

Meias Baudelaire

O bom de tricotar meias é que são rápidas, não são nem um pouco entediantes e são facilmente transportáveis. Some-se à isso o fato de que o ponto de folhas das meias Baudelaire ser muito fácil de memorizar. Delícia!

Receita: Meias Baudelaire por Cookie A
Fio: Heritage Solids & Quatro Colors da Cascade Yarns na cor Ameixa
Agulha: Jogo de cinco agulhas de pontas duplas número 2,5mm, número 2,75mm e número 3,00mm

Veja esse projeto no Ravelry

This is my first toe-up socks. In fact, it’s the third version!The first version was knit with US 1½ needles. As I progressed, I would try it and it was all right. After finishing the heel, I started the leg and began having problem to try it because my heel wouldn’t pass through the leg of the sock.

The issue is that the at the leg, the frontal panel of leaves is repeated at the back and it reduced it’s elasticity. Besides that, the sides that divide the panel of leaves have a four stitch cable between two bands of three purl stitches, which doesn’t increase the elasticity.

Designer Cookie A offers a modification to increase the gusset by doing a manouver in which the four stitch cable would became an eight stitch cable. But I didn’t managed to do this manouver…

At first I headed to the faster solution: frog only the leg and knit it again using #US 2 needles and #US 3 needles on the last 4 inches of the leg. The circunference increased enough to suit my heel and it passed through the leg, with a little effort. I could try the socks, but I could hardly see the cables at the sides of the leg because the knit was extremely stretched. Definitely, it wasn’t beautiful at all.

I decided to alter the side stitches between the two panels of leaves. Instead of a four stitch cable between the bands of purl stitches I knitted a 2×2 ribbing which have more stretch. I added one small detail by twisting the knit stitches of the ribbing every 4 rounds. The price of this solution it that I had to frog the sock till the toe and redo the sides of the front panel of stitches since the beggining and therefore assuring an uniform transition when reaching the leg. I also added 8 stitches so that the round of the leg would have 72 stitches instead of the 64 stitches expected for the medium size. I found this solution much nicer, visually speaking:

It’s good to knit socks because their fast projects, they’re not boring at all and they’re easily portable. Plus, the pattern of leaves of Baudelaire sock is very ease to memorize. It’s a joy!

Pattern: Baudelaire Socks by Cookie A
Yarn: Heritage Solids & Quatro Colors da Cascade Yarns – colorway Plum
Needles: Set of five double pointed needles US 1½, US 2 and US 2,5

See this project at Ravelry

açaí nos pés

É a segunda vez que tricoto as belas meias Lakeside. Esse par será presenteado para minha linda enteada que adora a cor roxa, não é mesmo, Naiara? :-)

Meias Lakeside Acai

É uma receita deliciosa. Também gosto muito da solução encontrada pela designer para evitar que a meia escorregue pela perna: um elástico mais grosso (e por esse motivo, confortável) fica embutido na barra da meia. A montagem provisória da barra garante o acabamento perfeito.

Meias Lakeside Acai

Como toda renda, requer atenção, mas não é difícil. Apesar de serem vários gráficos, há uma sequência lógica de aumentos e repetições que torna o gráfico muito fácil de ser memorizado.

Meias Lakeside Acai

Cada meia foi tricotada com 58 gramas de lã. Ficam lindas com sapatilhas ou mocassins.

Meias Lakeside Acai

Uma receita tão bonita assim e grátis! A designer também foi generosa ao autorizar a tradução da receita para português.

Receita: Lakeside Socks por Julia Vacosin
Fio: Cascade Heritage adquirido em Jimmy Beans Wool
Agulha: jogo de 5 agulhas de ponta dupla número 2.75 mm

Este projeto no Ravelry

It’s the second time I knit beautiful Lakeside socks. These pair is a gift for my beautiful step-daughter who loves purple , is it right Naiara? :-)

This pattern is a joy to knit. I also enjoy the solution given by the designer to stop them from falling: a thick elastic (and for this reason, a comfortable one) inside the cuff. The provisional cast-on ensures the perfect finishiment.

Like any lace pattern, it requires atenttion, but it’s not difficult. Despite the numerous charts, there’s a logical sequence of increases and decreases that makes it easy to memorize.

Each sock was knit using 58 grams of wool. They’re beautiful when worn with flats or moccasins.

Such a beautiful pattern and free! Designer Julia Vacosin was also generous when she authorized the translation of the pattern into portuguese.

Pattern: Lakeside Socks by Julia Vacosin
Yarn: Cascade Heritage bought at Jimmy Beans Wool
Needles: set of 5 double pointed needles US #2

This project on Ravelry