revisão – Casaquinho Bebê Comportado

A receita Casaquinho Bebê Comportado acaba de ser atualizada.

A carreira de casas de botão foi corrigida para: 3m, 2pjm, laç, 3m, 2pjm, laç, [meia até o próximo marcador, 1aum, passar marcador, 1m, 1aum] três vezes, meia até o final da carreira.

Desculpe-me o transtorno, a receita não foi testada.

I’ve just uploaded a new PDF file to Ravelry containing the corrected english version of the Well Behaved Baby Jacket.

Correct buttonhole row is: k3, k2tog, YO, k3, k2tog, YO, knit until next marker, m1, slip marker, k1, m1 three times, knit till the end of row.

I’m sorry for the inconvenience, the pattern was not tested.

em dose dupla

Estava difícil conter a vontade crescente de tricotar casaquinhos para minha enteada querida que está esperando gêmeos!

tricô em prosa - em dose dupla - Casaquinho Bem Comportado

Eu não queria esperar até saber o sexo dos bebês. Mas então, como eu tricotaria os casaquinhos sem saber se seriam dois garotos, duas meninas ou se viria um casal? Sofri vários dias até encontrar uma solução: tricotaria os casaquinhos usando cores neutras e daria o toque final com as cores dos botões. Os botões só seriam pregados depois.

Desse modo, poderia saciar a vontade de tricotar algo para os bebês! Era só escolher uma receita e ser feliz! Mas semanas se passaram e não conseguia encontrar uma receita que fosse satisfazer minha vontade de tricotar casaquinhos fofos…

tricô em prosa - em dose dupla - Casaquinho Bem Comportado

Navegando sem rumo pela internet eu me deparei com um casaquinho de bebê ultra charmoso. O problema é que ele não era de tricô. Volta e meia eu retornava àquela página para ver o casaquinho. Olhando mais atentamente, vi que poderia tricotar um casaquinho daquele modelo clássico.

Pesquisei o padrão das medidas de bebês, tricotei amostras e comecei a fazer contas. Muitas contas. Anotava tudo numa folha do meu caderno de tricô.

Como é difícil escrever uma receita! Fiquei surpresa com a quantidade de decisões só para tricotar um casaquinho de bebê. São muitos cálculos até conseguir rascunhar uma receita para enfim poder tricotar alguma coisa.

tricô em prosa - em dose dupla - Casaquinho Bem Comportado

E quando comecei a tricotar, tive de refinar cálculos, ajustar alguns números e desmanchar várias vezes. As anotações do caderno foram riscadas e atualizadas para refletir as novas contas. E foram riscadas de novo e uma vez mais, até que tive de arrancar a folha do caderno e passar à limpo.

Ao tricotar o segundo casaquinho, seguindo o rascunho da receita, tive de corrigir um único número que ainda refletia uma versão anterior do casaco. O segundo casaquinho foi super rápido de tricotar! Foi só seguir a receita e lá estava ele, igualzinho ao primeiro, com exceção da cor!

tricô em prosa - em dose dupla - Casaquinho Bem Comportado

Então minha enteada fez um novo ultrassom e nos brindou com a notícia de que espera um casal!

O engraçado é que eu já não queria combinar as cores dos botões com o sexo dos bebês. Que nada! Escolhi botões com cores idênticas às cores dos casacos. Simples e clássico.

tricô em prosa - em dose dupla - Casaquinho Bem Comportado

Escrever essa receita foi um processo lento, frustrante por vezes, mas no geral senti aquela adrenalina boa que a superação de desafios proporciona! Sem falar que foi altamente recompensador ter nas mãos o casaquinho e ver que ficou do jeito que tinha imaginado.

Os dois casaquinhos estão prontos para aquecer os corações do João Miguel e da Maria Luz! Que venham com muita saúde!

Receita: Casaquinho Bebê Comportado de Valéria Garcia
Fio: Cisne Cetim nas cores 881 (cinza escuro) e 879 (cinza claro)
Composição: 70% acrílico, 30% lã
Agulha: circular número 4mm de 1 metro de comprimento

Veja esses casaquinhos no Ravelry

alta concentração de renda

Esse xale é um presente para minha tia que tanto amo! Uma mulher doce, talentosa e que tem esses olhos lindos, castanhos claros. Euzinha, foi pensando nos seus olhos que me decidi pela cor do fio, meio acobreado.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

Depois de muita dúvida na hora de escolher a receita, resolvi me deliciar tricotando um xale que já tinha tecido antes.

É uma receita muito bonita! Uma rápida lida na tradução da receita bastou para constatar que era urgente fazer uma atualização, principalmente na abreviatura da diminuição dupla centralizada. Essa foi minha primeira providência. A segunda foi tricotar a amostra sugerida pela receita para não ter dúvida em relação à numeração da agulha.

Foi tão gostoso tricotar esse xale. Tudo deu certo!

contas de vidro

Eu queria usar muitas contas de vidro nesse xale. Comprei 140 gramas de miçangas Jablonex. Eram tantas miçangas que tive de colocá-las num pote de vidro reciclado, desses de geleia. As contas foram passadas pelo fio com a ajuda de uma agulha de crochê número 0,9mm.

Também usei outra agulha de crochê para fazer os nupps. Nesse caso, usei uma agulha de crochê número 2,5mm e esse vídeo com instruções para fazer os nupps numa única carreira. Para esse xale escolhi fazer os nupps com nove voltas.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

As contas são aplicadas no xale desde o primeiro gráfico até o último. Isso significa que esse xale deve ser tricotado em ambiente tranquilo, pacífico e sem distrações. Eu me sentava no sofá, derramava algumas contas de vidro na tampa do pote, posicionava a agulha de crochê ao lado das contas, deixava o gráfico por perto e começava a tecer vagarosamente.

Um belo dia, um movimento descuidado derrubou o pote de miçangas que se espatifou no chão. O vidro se quebrou em pedaços de todos os tamanhos. Encontrei desde pequenas lascas até vidro em pó. Passei duas horas separando as miçangas daqueles pedacinhos minúsculos de vidro cortante. Não sei como, mas consegui não me ferir. Até hoje encontro miçangas nos lugares mais improváveis da casa.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

A linha de gráfico mais difícil de tecer foi a de número 43 do Gráfico Barrado Principal, que é tecida simultaneamente com a linha 43 dos gráficos Barrado Direito, Barrado Central e Barrado Esquerdo. Como o algodão não tem elasticidade, colocar as contas nas diminuições foi uma operação meio “esquisita”. E essa linha 43 tem muitas contas aplicadas nas diminuições. Foram duas noites de muita paciência.

o tamanho do xale

A receita traz instruções para tecer o xale em dois tamanhos. A versão menor consome uns 400 metros de fio e a versão maior consome 1000 metros. Para o xale da tia Euzinha eu queria usar no máximo 700 metros de fio. A receita traz instruções claras e simples para modificar o tamanho.

Para modificar o tamanho do xale eu alterei a quantidade de repetições do Gráfico Yucca. A receita indica fazer quatro repetições para o tamanho menor e doze para tecer o xale no tamanho grande. Então eu decidi trabalhar oito repetições. E não tricotei o Gráfico Agave (como indicado para tecer o tamanho menor), fui direto para o Gráfico Agave Final.

Depois de molhado e bloqueado em seu formato final, aprovei! O tamanho ficou perfeito.

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

O xale foi arrematado com fio duplo, como pede a receita. Como eu não tinha outra bola de fio eu separei em torno de 28 metros do fio e cortei-o. Sobrou pouco mais de 4 metros.
A borda ficou firme, mostrando a renda.

o xale em números

O xale pesa 262 gramas e consumiu 650 metros de fio. Das três bolas de fio Esterlina 5 usadas para tecê-lo restaram apenas 9 gramas!

Foram aplicadas 1349 miçangas no xale. Nunca antes havia usado tantas contas de vidro numa peça!

tricô em prosa - Xale Aeolian Cobre

Depois de molhado e modelado, o xale mede 63 centímetros de altura e tem 122 centímetros de envergadura.

Receita: Xale Aeolian de Elizabeth Freeman
Obs: a designer autorizou a publicação da tradução da receita para o português
Fio: Esterlina 5 – cor 197
Composição: 100% algodão
Agulha: circular número 3mm

Veja esse xale no Ravelry

umas boas meias de algodão

Meu plano de tecer meias usando fio de algodão teve início em meados de outubro. Essa é mais uma peça tecida inteiramente enquanto estive fora de casa, levada na bolsa, já que quando estava em casa só tive olhos para um xale que ainda estou tecendo com o maior zelo e carinho.

blog tricô em prosa - umas boas meias de algodão

Elas são extremamente confortáveis!

Minha primeira providência foi tecer as amostras. Uma amostra foi tecida em ponto jérsey e outra com o ponto escolhido para as meias, que foi retirado do livro Getting Started Knitting Socks da Ann Budd. Além de ensinar a tecer meias, o livro oferece vários pontos apropriados para sua confecção.

Esse ponto sempre esteve entre um dos meus favoritos. Combina colunas torcidas com ponto tricô, excelente para dar elasticidade às meias de algodão.

blog tricô em prosa - umas boas meias de algodão

Usando a matemática das meias fiz os primeiros cálculos e pude esboçar a receita. Para usar o ponto escolhido para as meias foram necessárias algumas adaptações e pronto, mandei bala!

As meias ficaram prontas em quinze dias. Os pontos do primeiro pé foram montados em meados de outubro e o segundo pé foi arrematado no início de novembro.

Entretanto, só pude fotografá-las agora porque minha câmera apresentou um defeito ainda no início de outubro, bem no dia em que fui fotografar o xale Goldmarie que teci para minha tia. Demorei algumas semanas para mandá-la para o conserto e outras mais foram necessárias para que ela retornasse. Como fez falta…

blog tricô em prosa - umas boas meias de algodão

Descobri que esse fio é muito grosso para tecer meias que serão usadas com sapatos fechados, fica apertado. Por esse motivo essas meias serão usadas principalmente para dormir.

Já providenciei outro fio de algodão, dessa vez um pouco mais fino, e com ele vou tecer a mesma receita. Quero ver se produz meias com espessura adequada para usar com sapatos fechados. Serão as próximas peças que passarão um bom tempo indo e vindo na minha bolsa enquanto termino de tecer aquele xale no conforto da minha casa.

Receita: particular
Fio: Pingouin Bella na cor 1815
Agulha: circular número 2,5mm e 2,75mm de 100 centímetros de comprimento

Veja essas meias no Ravelry

minhas meias da Meida

Essas meias andaram muito tempo dentro da minha bolsa. Enquanto tecia esse xale sempre que me encontrava em casa, senti falta de ter uma peça na minha bolsa para eu poder tricotar quando estivesse fora. E não tem peça melhor para levar na bolsa do que meias.

tricô em prosa - minhas meias da Meida

Eu ganhei esse fio de presente da Marico alguns anos atrás. Adoro a cor! Ele tem um porcentual de nylon na sua composição, importante no caso das meias porque aumenta a durabilidade. Além disso, ele vem com um carretel de fio 100% nylon que usei junto com o fio ao tricotar o calcanhar e os dedos da meia para reforçar essas partes que são mais propensas à formar buracos devido à fricção.

Para honrar o fio, escolhi uma receita bem bonita da Nancy Bush. Essa receita faz parte do livro Favorite Socks. A Nancy Bush conta que ganhou essas meias de presente de sua amiga Meida quando visitou a Estônia pela primeira vez e então as reproduziu.

tricô em prosa - Meias da Meida

O comprimento da perna foi a única modificação que fiz.

Eu queria tornar a perna mais longa. Pelo fato das tranças não serem tão elásticas, eu montei os pontos usando agulha de numeração 2,75mm. Com essa numeração eu teci sete repetições do gráfico.

Depois mudei para agulhas número 2,50mm e teci mais três repetições antes de iniciar o calcanhar. Assim, a circunferência da meia acompanhou a da perna, o que faz com que as meias não escorreguem. No total foram dez repetições do gráfico antes do calcanhar. A receita original pedia seis repetições.

tricô em prosa - Meias da Meida

Esse é um ponto muito fácil de memorizar, uma delícia de fazer. Uma novidade para mim foi a trança estoniana, feita de uma maneira um pouquinho diferente.

O calcanhar foi trabalhado em ponto de alvéolo, com pontos passados sem fazer, o que torna a trama bem resistente, perfeita para essa parte da meia. Foi a primeira vez que trabalhei esse ponto no calcanhar. Os alvéolos não ficaram tão visíveis, acredito eu, porque o calcanhar foi trabalhado com fio duplo.

Olha, com o calor que anda fazendo, com certeza muitas meias ainda virão!

Também gostaria de falar do 3° Encontro Gaúcho de Tricô. Serão ministradas diversas oficinas legais, vai ter concurso, passeios e outras diversões. Eu vou ministrar duas oficinas, uma sobre meias e outra sobre xales. Nos vemos por lá?

Receita: Meida’s Socks de Nancy Bush
Fio: Lang Yarns Jawoll Superwash Solids na cor vinho
Composição: 75% lã, 18% nylon, 7% acrílico
Agulha: circular na numeração 2,75mm e 2,50mm de 1 metro de comprimento

Veja esse projeto no Ravelry